Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação de uma vitrocerâmica bioativa (Biosilicato) no processo de reparação óssea

Processo: 12/13477-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2013 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Ana Claudia Muniz Renno
Beneficiário:Ana Claudia Muniz Renno
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesq. associados:Edgar Dutra Zanotto ; Nivaldo Antonio Parizotto ; Oscar Peitl Filho ; Paulo Sérgio Bossini
Assunto(s):Biotecnologia  Biomateriais cerâmicos  Vitrocerâmica  Regeneração óssea  Osteogênese  Expressão gênica  Consolidação da fratura 

Resumo

O reparo ósseo é um processo regenerativo altamente complexo que inclui a interação de uma série de eventos biológicos determinantes para a restauração da integridade do tecido ósseo. Durante este processo, podem ocorrer alterações que culminarão na deficiência da regeneração e, consequentemente, no atraso da consolidação ou na não união óssea. Nesses casos, existe a necessidade de utilizar implantes ósseo-substitutos para favorecerem a regeneração óssea. Os scaffolds de Biosilicato® têm demonstrado ser biomateriais viáveis à utilização como implantes ósseos, por apresentarem uma estrutura adequada para o crescimento tecidual e possuírem um grande potencial osteogênico. Contudo, ainda não se sabe qual a sua real influência nos mecanismos de ação e nas interações biológicas que permeiam o processo de reparação óssea. Neste sentido, evidências moleculares seriam de grande valia para uma compreensão acurada deste cenário biológico, uma vez que as modificações celulares e moleculares induzidas pelo biomaterial gerenciam a formação óssea. Dentro deste contexto, este estudo visa avaliar a ação dos scaffolds de Biosilicato® no processo de consolidação de defeitos ósseos em tíbias de ratos, mediante as análises histológicas do defeito ósseo, análise de expressão dos genes relacionados a regeneração óssea e análise dos níveis de mediadores inflamatórios durante o reparo tecidual. Estas informações possibilitam uma compreensão mais precisa sobre os mecanismos pelos os quais este biomaterial interage com o sistema biológico durante o processo de reparo ósseo, o que pode contribuir para o desenvolvimento de novos estudos com o biomaterial, no intuito de desenvolver futuramente um tratamento eficaz e confiável para consolidação de fraturas. (AU)