Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação estrutural da proteína VPg e implicações na replicação e infecção pelo rinovírus humano

Processo: 12/23304-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2013 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Nancy Cristina Junqueira Bellei
Beneficiário:Nancy Cristina Junqueira Bellei
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Virologia  Rhinovirus  Doenças respiratórias  Proteínas virais  Replicação viral  Técnicas de diagnóstico molecular 

Resumo

Infecções por rinovírus humano (HRV) estão entre as mais freqüentes causas de resfriados comuns, sendo responsáveis por aproximadamente 50% das infecções do trato respiratório superior. Os HRVs sempre foram associados a Infecções Respiratórias Agudas (IRA) do trato respiratório superior, mas com o desenvolvimento das técnicas moleculares de diagnóstico foi possível demonstrar a associação de HRV e acometimento do trato respiratório inferior. Estudos recentes têm demonstrado que esse vírus está relacionado com quadros clínicos respiratórios graves em crianças, adultos, idosos e pacientes imunocomprometidos. Atualmente, os rinovírus são classificados em mais de 140 sorotipos, divididos em 3 espécies distintas HRV-A, HRV-B e HRV-C, sendo que as espécies A e C são clinicamente associadas ao desencadeamento de doença mais grave. Estudos têm demonstrado que fatores ligados ao hospedeiro, como idade, status imune e evolução clínica como hospitalização não estão associados à infecção exclusiva por uma determinada espécie. O melhor entendimento da epidemiologia molecular deste agente levantou novas questões a respeito dos mecanismos de patogênese envolvidos na doença causada pelas diferentes espécies de HRV. Neste contexto fica clara a importância do conhecimento a respeito da fisiologia viral. A replicação do HRV é iniciada através de uma pequena proteína ligada ao genoma chamada VPg (Viral Protein of the genome). A VPg serve como primer para início da síntese da fita negativa intermediária, que posteriormente será transformada em uma fita positiva correspondente ao genoma do HRV. Estudos que comprovam o papel da VPg na replicação do HRV descrevem que o mutações inseridas no gene precursor da VPg (gene 3B), resultam em síntese de RNA defectiva, portanto esse pequeno peptídeo parece desempenhar um papel fundamental na replicação do vírus. A avaliação estrutural da VPg e do seu papel na replicação das diferentes espécies de HRV pode esclarecer a dinâmica da infecção e a diversidade do quadro clínico apresentado por pacientes infectados com as diferentes espécies de HRV. A partir de dados sobre conservação estrutural e funcional da proteína VPg pode-se testar a imunogenicidade dessa proteína, bem como sua utilização no desenvolvimento de testes diagnósticos para detecção de HRV. (AU)