Busca avançada
Ano de início
Entree

Diretrizes e procedimentos para recuperação de patrimônio habitacional em madeira na vila histórica de Paranapiacaba

Processo: 03/06406-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de fevereiro de 2004 - 30 de setembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Gilson Lameira de Lima
Beneficiário:Gilson Lameira de Lima
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Centro Universitário Fundação Santo André (FSA). Santo André , SP, Brasil
Instituição parceira: Prefeitura Municipal de Santo André
Assunto(s):Patrimônio arquitetônico  Madeira  Vilas  Política habitacional  Paranapiacaba (SP) 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_47_60_60.pdf

Resumo

Localizada no extremo sul do município de Santo André, a vila de Paranapiacaba nasceu e se desenvolveu em função da implantação e operação da estrada de ferro Santos - Jundiaí, compondo, em meio à paisagem natural do alto da Serra do Mar, um território que reúne tecnologia ferroviária e uma vila operária que motivaram o tombamento pelo CONDEPHAAT (1987) e pelo IPHAN (2001). Construída para abrigar operários da São Paulo Railway Company, a partir dos últimos anos do século XIX, a vila ferroviária de Paranapiacaba possui cerca de 350 habitações em madeira que por falta de manutenção e conservação adequadas vem se deteriorando, ao longo do tempo, apresentando riscos de perda desse patrimônio. Este estado de degradação colocou Paranapiacaba por duas vezes na lista de monumentos históricos em risco de desaparecimento pela World Monuments Fund (2000 e 2002). A prefeitura de Santo André adquiriu em 2001 todo o conjunto urbano que caracteriza a vila e busca alternativas para sua recuperação e implementação de projeto turístico, na perspectiva do desenvolvimento sustentável local. Nesse sentido, uma condição essencial para o sucesso da política de desenvolvimento econômico, baseada no turismo, é a recuperação e sustentação da qualidade do patrimônio arquitetônico existente. A vila residencial que tem cerca de 100 anos, é resultado de tecnologia construtiva inglesa e o projeto se propõe a auxiliar a prefeitura a diagnosticar o passivo deteriorado, a formular diretrizes e procedimentos de recuperação dos edifícios e a construir, em conjunto com a prefeitura e comunidade, uma estratégia para manter a vila residencial em condições permanentes de uso e de expressão de seu valor histórico, através da implantação de infraestrutura para manejo de componentes, da capacitação da equipe técnica da prefeitura para monitoramento e diagnóstico das edificações e treinamento de membros da comunidade local para o trabalho de recuperação/manutenção. (AU)