Busca avançada
Ano de início
Entree

Implementação de modelo de qualidade do ar para a região metropolitana de São Paulo

Processo: 03/06414-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de abril de 2004 - 31 de julho de 2007
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Maria de Fátima Andrade
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG)
Assunto(s):Meteorologia ambiental  Dispersão de poluentes  Poluição atmosférica  Qualidade do ar  Região metropolitana  São Paulo  Mudança climática 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Contribuições...climáticas_110_128_128.pdf

Resumo

A poluição por gases e partículas tem sido um problema de difícil abordagem em regiões urbanas complexas, como é o caso das regiões metropolitanas em São Paulo. Os fatores que levam a uma pobre qualidade do ar incluem emissões de gases e partículas, topografia, meteorologia, química, e conversão gás-partícula. Como as interações entre todos esses fatores são complexas, foram desenvolvidos modelos computacionais para simular a produção de poluição, e entender essas interações. Países tecnologicamente avançados têm demonstrado à necessidade de se analisar as complexas interações entre a química e a meteorologia, que regem os fenômenos associados à dispersão atmosférica de poluentes. E a metodologia adequada para isso é a aplicação de modelos de qualidade do ar que incluem a descrição tanto dos mecanismos químicos quanto da dispersão e transporte. O Departamento de Ciências Atmosféricas conta com grande experiência na utilização do modelo ClT, desenvolvido no Caltech (California Institute of Technology) e Carnegie Mellon University. Esse modelo tem sido aplicado ao problema de descrição da formação de poluentes fotoquímicos em São Paulo. Os componentes básicos desses módulos são: um mecanismo cinético descrevendo as reações químicas; uma descrição das fontes, com distribuição espacial e temporal das emissões; uma descrição meteorológica, incluindo velocidade e direção do vento para cada estação, a estrutura vertical da temperatura e a intensidade da radiação. Esse modelo será o hospedeiro para a inclusão do módulo de formação de partículas finas, que inclui a conversão gás-partícula e o crescimento por condensação e coagulação. Esse modelo mais completo denominado CIT-AERO está sendo implementado no Departamento de Ciências Atmosféricas, em colaboração com a Carnegie Mellon University de Pittsburgh. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE FATIMA, ANDRADE MARIA; FORNARO, ADALGIZA; DIAS DE, FREITAS EDMILSON; MAZZOLI, CAROLINE R.; MARTINS, LEILA DROPRINCHINSKI; BOIAN, CLAUDIA; LOPES OLIVEIRA, MARCIO GLEDSON; PERES, JEAN; CARBONE, SAMARA; ALVALA, PLINIO; LEME, NEUSA PAES. Ozone sounding in the Metropolitan Area of Sao Paulo, Brazil: Wet and dry season campaigns of 2006. Atmospheric Environment, v. 61, p. 627-640, DEC 2012. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.