Busca avançada
Ano de início
Entree

Gerenciamento dos lodos de ETA's: influência do lançamento do lodo de ETA no processo de tratamento de esgotos por lagoas de estabilização em cidades de pequeno porte

Processo: 03/06419-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de fevereiro de 2004 - 31 de agosto de 2007
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Faustino Pires
Beneficiário:Maria Aparecida Faustino Pires
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos (São Paulo - Estado). Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP)
Assunto(s):Saneamento básico  Estações de tratamento de água  Lodo  Lagoas de estabilização  Esgotos sanitários  Tratamento de esgotos sanitários  Cidades pequenas 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_119_102_103.pdf

Resumo

O setor de abastecimento de água ainda não dispõe de forma ambientalmente adequada os resíduos e lodos gerados como subprodutos do processo de tratamento de água. Hoje existe a preocupação com as estações de tratamento de água (ETA), de modo que estes lodos sejam gerenciados dentro dos critérios estabelecidos pela norma NBR 10.004, atendendo o art. 54, Séc. III, Lei 9.605/98, atividades lesivas ao meio ambiente. Esses lodos têm características distintas e variadas, dependendo da água bruta, dosagem e produtos químicos e limpeza dos decantadores. Cidades de pequeno porte utilizam sistemas de tratamento de esgotos com lagoas de estabilização, caracterizados por possuir grandes áreas de implantação e com tempo de detenção hidráulico bem longo. As ETAs foram implantadas em épocas onde a questão do lodo não representava preocupação legal, sendo retornados aos corpos receptores. Um método alternativo de disposição desses resíduos observado em alguns países é a transferência desse lodo para lagoas de estabilização via rede coletora de esgoto ou caminhão. Esta apresenta a vantagem da eliminação da implantação de sistemas de tratamento de resíduos nas próprias ETAs e da concentração dos problemas referentes ao lodo para uma única localização, absorvendo custos operacionais e investimento para a retirada, tratamento e disposição final. Visando desenvolver pesquisa aplicada para a solução de problemas condizentes com a nossa realidade, o projeto pretende buscar soluções para disposição desses resíduos em ETAs, melhorando condições sanitárias, ambientais e de bem-estar, trabalhando no conceito de rede temática, auxiliando administrações municipais envolvidas em problemas de saneamento. Existe desde 1995 uma cooperação técnica - cientifica entre a coordenadora do projeto e equipe com as gerências técnicas da SABESP projetos com (financiamentos PADCTIII/FINEP; RHAE/CNPq; FAPESP P.Pub) e mais recentemente com a Poli USP, Prof. Roque Pivelli, especialista em tratamento de esgoto sanitário, desenvolvendo projetos em diagnóstico ambiental e qualidade das águas e sistemas de tratamento. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARIA NOGUEIRA MARQUES; MARYCEL BARBOSA COTRIM; MARIA APARECIDA FAUSTINO PIRES; OSVALDO BELTRAME FILHO. Avaliação do impacto da agricultura em áreas de proteção ambiental, pertencentes à bacia hidrográfica do rio ribeira de iguape, São Paulo. Química Nova, v. 30, n. 5, p. 1171-1178, Out. 2007.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.