Busca avançada
Ano de início
Entree

Comunidades online: domesticidade e sociabilidade em políticas públicas para inclusão digital

Resumo

A pesquisa visa verificar as implicações da introdução da comunicação informatizada na vida cotidiana de uma comunidade existente, e suas relações com os espaços de morar, em sentido amplo. Além da discussão conceitual, o estudo pretende apresentar e examinar dados a partir da implantação de comunicação mediada por computadores e outros equipamentos informatizados, com uma interface colaborativa especialmente desenhada, em conjunto habitacional construído pela COHAB-SP na zona leste paulistana, já dotado de telecentro. Propõe-se acesso gratuito à rede, via ondas de rádio, interconectando, além das habitações e do telecentro, os serviços públicos, os comércios locais e as escolas. Pretende-se avaliar os diversos impactos dessa inserção na vida do bairro, os efeitos da nova mídia nas relações sociais, dentro e fora da comunidade, no espaço físico da comunidade e nas habitações. O projeto contribui para ampliar a atuação da COHAB-SP, que já vem implantando telecentros em conjuntos, buscando resultados úteis para a formulação de políticas públicas para inclusão digital das classes sociais menos favorecidas. São também objetivos da pesquisa: 1) estudar o conceito de comunidade, detendo-se em análises teóricas sobre sua natureza sociológica; 2) estudar os impactos sociais das novas mídias na vida cotidiana, sobre o pano de fundo das questões relacionadas às novas tecnologias da informação e comunicação (TICs) e suas implicações em campos diversos relacionados à vida social: educação, trabalho, saúde, serviços, etc.; 3) avaliar impactos das TICs na reorganização de espaços públicos e coletivos que funcionam como extensões da habitação, e também dos espaços domésticos privados de interesse social; 4) avaliar interfaces colaborativas e sua relação com a acessibilidade à comunicação e informação, no contexto de pessoas com variados graus de escolaridade e padrões culturais; 5) produzir bases de dados sobre assuntos relacionados com o tema da pesquisa, disponibilizando publicamente os resultados. O horizonte teórico da pesquisa inclui o trabalho de pesquisadores como Manuel Castells, Eric Hobsbawn, Philippe Quéau, Pierre Lévy, Jean Baudrillard, William Mitchell, Nicholas Negroponte, Henri-Pierre Jeudy, Paul Virilio, além de Howard Rheingold, e, particularmente, de Barry Wellmam e Keith Hampton. (AU)