Busca avançada
Ano de início
Entree

Política de atenção ao adulto: prevenção, identificação e controle da hipertensão arterial distrito saúde escola do Butantã

Processo: 03/06454-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de junho de 2004 - 31 de março de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Angela Maria Geraldo Pierin
Beneficiário:Angela Maria Geraldo Pierin
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina (FM). Centro de Saúde-Escola Samuel Pessoa (Butantã)
Assunto(s):Saúde pública  Hipertensão  Política de saúde  Sistemas de saúde 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_123_109_109.pdf

Resumo

A hipertensão arterial é uma doença de alto custo para os sistemas de saúde e social. É uma das principais causas de aposentadorias precoces e absenteísmo ao trabalho. Apresenta estreita relação com doenças cardiovasculares que ocupam o primeiro lugar na morbimortalidade nacional e a hipertensão é um dos mais importantes fatores de risco relacionados. É responsável por 40% das mortes por acidente vascular encefálico e 25% da doença arterial coronariana e conjuntamente, no período de 1998-2001, responderam por um custo global de aproximadamente 400 milhões de dólares com hospitalização. A hipertensão só é identificável pela medida da pressão, justificando a importância da sua avaliação periódica. Uma vez diagnosticada, a proposição do tratamento medicamentoso e não medicamentoso é relativamente simples, tendo em vista o grau de resolutividade dessas medidas. Porém, a obtenção do controle da pressão dentro de valores desejáveis não é tarefa fácil. De um modo geral, estudos regionalizados têm apontado que apenas cerca de um terço dos hipertensos estão controlados, caracterizando baixa adesão ao tratamento. Adesão ao tratamento é um processo comportamental complexo, influenciado pelo meio ambiente, profissionais de saúde e cuidados de assistência médica. O desafio da adesão ao tratamento é tarefa que exige o envolvimento e a participação dos pacientes e dos profissionais da saúde. Para que se possa atingir e manter os níveis tensionais controlados, o doente frequentemente requer estímulo constante para as mudanças do estilo de vida e ajuste à medicação. Os hipertensos devem ser observados a intervalos regulares, tendo como principal objetivo obter o controle da pressão, assim como a sua manutenção em longo prazo. Face ao panorama traçado ressalta-se a importância do direcionamento de programas e políticas de saúde para a atenção no contexto da hipertensão arterial. A articulação de recursos, caracterizada na presente proposta pela união de esforços contando com docentes e pesquisadores da Universidade de São Paulo e Secretaria Municipal de Saúde, representada pelo Distrito Saúde Escola do Butantã, visa o estabelecimento de estratégias que permeiam desde a promoção da saúde para a obtenção de estilos e hábitos de vida saudáveis, detecção precoce da doença, tratamento e manutenção do controle da doença. (AU)