Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de diferentes fontes de luz no cultivo de Heliconia in vitro e ex vitro

Processo: 12/16932-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2013 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Paulo Hercilio Viegas Rodrigues
Beneficiário:Paulo Hercilio Viegas Rodrigues
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Floricultura  Plantas ornamentais  Propagação vegetal  Mudas (plantas)  Cultivo em vaso  Cultivo protegido  LED 

Resumo

O crescimento da floricultura no Brasil criou uma demanda por novos produtos a fim de atender aos consumidores interessados por novidades dentro desse agronegócio. O cultivo em vaso de novas espécies ornamentais seria uma opção promissora para inserir novos produtos na floricultura. Diante disso, o objetivo do presente projeto será avaliar o desenvolvimento de mudas propagadas in vitro de duas espécies de heliconia, sob ação de diferentes fontes de luz durante o cultivo in vitro e em cultivo protegido. Os explantes, durante os subcultivos, serão avaliados em sistema de iluminação de LED nas seguintes combinações: T1: 100% vermelho, T2: 100% azul, T3: 70% azul + 30% vermelho, T4: 70% vermelho + 30% azul e o controle TC pela lâmpada fluorescente branca. As mudas serão transferidas e mantidas em casa de vegetação de ambiente protegido com diferentes malhas quanto ao tipo de luz transmitido, dispostas em sequencia nas cores vermelha (M1), preta (M2) e azul (M3), índice de sombreamento de 30 %. Cada tratamento de LED será avaliado nas diferentes cores das malhas, totalizando 15 tratamentos. As mudas serão transferidas para pote 17 na qual permanecerão até o final do ensaio (antese). O total de vasos avaliados será de 360 para cada espécie, totalizando 720 vasos. Os resultados de altura, área foliar e dados climáticos serão obtidos em porcentagem e as médias das variáveis mensuradas nos experimentos serão submetidas a análise de variância pelo teste F e, quando significativos serão comparados pelo teste de Turkey a 5% de probabilidade. (AU)