Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de receptores de reconhecimento padrão (PRRs) na ativação de macrófagos nas infecções fúngicas cutâneas causadas por Fonsecaea pedrosoi, Sporothrix schenckii e Trichophyton rubrum

Processo: 12/18598-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de abril de 2013 - 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Sandro Rogerio de Almeida
Beneficiário:Sandro Rogerio de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):14/50326-2 - Patogenicidade de dermatófitos, AP.R
Bolsa(s) vinculada(s):14/11146-9 - O papel dos neutrófilos e dos receptores TLR 2 e TLR 4 na cromoblastomicose experimental em infecção por Fonsecaea pedrosoi, BP.DR
13/19213-4 - Estudos de interação de macrófagos frente à espécie Sporothrix brasiliensis, BP.DR
Assunto(s):Macrófagos  Fungos patogênicos  Micoses 

Resumo

Os fungos causadores de micoses cutâneas, como o Trychophyton rubrum, Fonseacaea pedrosoi e Sporothrix schenckii vêm ganhando destacada importância clínica devido ao seu caráter refratário às abordagens terapêuticas atuais e ao acometimento de imunossuprimidos, nos quais a patologia é mais grave. Grande parte deste quadro deve-se ao pouco conhecimento que se tem sobre os mecanismos imunopatológicos envolvidos na doença, o que dificulta a compreensão da mesma, a elaboração de novas estratégias terapêuticas e a detecção de possíveis alvos farmacológicos. Recentemente, vários trabalhos tem demonstrado a participação de receptores da resposta imune inata no controle de doenças infecciosas. Os receptores de reconhecimento padrão (PRRs) como Nod (NLRs), TOLLs e lectinas do tipo C, são elementos da resposta imune inata relacionadas à sondagem do ambiente intra e extracelular, reconhecendo padrões moleculares associados a patógenos (PAMPs) ou a dano ao hospedeiro (DAMPs). Ao serem ativados, os receptores podem formar inflamassomos, plataformas multiprotéicas envolvidas na ativação da caspase-1 e, subsequentemente, das citocinas pró-inflamatórias como TNF-±, IL-1² e IL-18.A atividade dos PRRs / Inflamassomos foi vinculada a diversos processos fisiopatológicos, como diabetes, obesidade e doenças infecciosas (bacterianas, virais e fúngicas). Particularmente no caso das micoses, as informações ainda são incipientes, porém sinalizam um papel fundamental dos inflamassomos no controle e na definição de uma resposta adaptativa protetora (TH1 e TH17). Portanto, esse projeto visa esclarecer os mecanismos imunologicos envolvidos na interação dos PRRs com importantes fungos patogenicos, e desta forma possibilitar mais conhecimento da fisiopatologia da cromoblastomicose, esporotricose e dermatofitose. (AU)