Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto do bruxismo do sono na musculatura mastigatória: avaliação eletromiográfica, ultrassonográfica, força de mordida, função mastigatória e qualidade de vida

Processo: 12/10228-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2013 - 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Simone Cecilio Hallak Regalo
Beneficiário:Simone Cecilio Hallak Regalo
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: Marcelo Palinkas
Assunto(s):Bruxismo do sono  Músculos mastigatórios  Eletromiografia  Força de mordida  Qualidade de vida  Ultrassom 

Resumo

O bruxismo do sono (BS) é um distúrbio muscular considerado grave que pode influenciar a qualidade de vida humana, caracterizado pelos sinais e sintomas como ranger e apertar dos dentes durante o sono, cansaço muscular, dor orofacial, dor muscular mastigatória, fadiga, cefaleia, predispondo alterações sérias do sistema mastigatório. Este estudo tem como objetivo analisar os músculos masseter e temporal por meio da eletromiografia, ultrassonografia, a força de mordida molar máxima e a eficiência mastigatória de indivíduos com bruxismo do sono com dor muscular. Serão avaliados indivíduos adultos da cidade de Ribeirão Preto e região, com idade entre 18 a 45 anos. A metodologia utilizada será aplicação do RDC/TMD, da polissonografia para diagnosticar o bruxismo do sono e do sistema BiteStrip® (Disposable Bruxism Test) classificando o grau de severidade do distúrbio . Os indivíduos serão divididos em 2 grupos: Grupo I - Controle e Grupo II - bruxismo com dor muscular. Após o diagnóstico do bruxismo, o Grupo II será subdividido em 3 subgrupos pelo grau de severidade do bruxismo do sono:15 indivíduos do subgrupo 1 - bruxismo leve; 15 indivíduos do subgrupo 2 bruxismo moderado e 15 indivíduos do subgrupo 3 bruxismo severo. A atividade eletromiográfica será avaliada utilizando o eletromiógrafo Delsys. Para a análise da espessura muscular serão adquiridas imagens dos músculos masseter e temporal no repouso e no apertamento dental utilizando o aparelho de ultrassom SonoSite Titan. A força de mordida molar máxima direita e esquerda será obtida por meio do dinamômetro digital Kratos e a eficiência mastigatória será avaliada por meio das pastilhas "beads" na mastigação do lado direito, lado esquerdo e habitual. Na literatura não existe uma avaliação específica desta metodologia aplicada ao bruxismo do sono e os resultados permitirão a avaliação integral do sistema mastigatório do ponto de vista da alteração morfológica e funcional desta patologia. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PALINKAS, M.; SEIDEL COSCARELLA, L.; HIRONO HOTTA, T.; BATAGLION, C.; DE LUCA CANTO, G.; CORREA DE MELLO, E.; NAPOLITANO GONCALVES, L. M.; SIESSERE, S.; HALLAK REGALO, S. C. Influence of sleep bruxism severity on masticatory efficiency: electromyographic analysis. ARCHIVES ITALIENNES DE BIOLOGIE, v. 157, n. 2-3, p. 59-65, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.
PALINKAS, M.; SEIDEL COSCARELLA, L.; HIROMO HOTTA, T.; BATAGLION, C.; DE LUCA CANTO, G.; CORREA DE MELLO, E.; NAPOLITANO GONCALVES, L. M.; SIESSERE, S.; HALLAK REGALO, S. C. Influence of sleep bruxism severity on masticatory efficiency: electromyographic analysis. ARCHIVES ITALIENNES DE BIOLOGIE, v. 157, n. 1, p. 59-65, 2019. Citações Web of Science: 0.
PALINKAS, MARCELO; SEMPRINI, MARISA; ESPIR FILHO, JOAO; CANTO, GRAZIELA DE LUCA; REGALO, ISABELA HALLAK; BATAGLION, CESAR; MENDES RODRIGUES, LAISE ANGELICA; SIESSERE, SELMA; HALLAK REGALO, SIMONE CECILIO. Nocturnal sleep architecture is altered by sleep bruxism. ARCHIVES OF ORAL BIOLOGY, v. 81, p. 56-60, SEP 2017. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.