Busca avançada
Ano de início
Entree

Síndrome de Frasier: quatro novos casos com apresentação atípica

Processo: 13/02445-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2013 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maricilda Palandi de Mello
Beneficiário:Maricilda Palandi de Mello
Instituição-sede: Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia pediátrica 

Resumo

A síndrome de Frasier (SF), caracterizada por disgenesia gonadal e nefropatia, é causada por mutaçõesespecíficas no gene supressor do tumor de Wilms (WT1) localizado em 11p23. Pacientescom cariótipo 46,XY apresentam genitália feminina normal com gônadas disgenéticas e alto riscode tumor gonadal, principalmente o gonadoblastoma. Por isso, a gonadectomia bilateral eletivaestá indicada. A nefropatia na SF consiste de síndrome nefrótica com proteinúria que se iniciana infância e aumenta progressivamente com a idade, principalmente devido à glomeruloesclerosefocal e segmentar (GESF). Esses pacientes não respondem ao tratamento com esteroidese imunossupressores e desenvolverão insuficiência renal crônica durante a segunda ou terceiradécada de vida. Neste trabalho, são relatados quatro casos de SF cujo diagnóstico foi definidoapós o rastreamento molecular do gene WT1. O caso 1 faz parte de um grande grupo de pacientesque tiveram diagnóstico de síndrome nefrótica corticorresistente e no qual o rastreamento demutações no fragmento 8-9 do gene WT1 identificou a mutação IVS9+5G>A. Além da SF, essa pacienteapresentou características incomuns, tais como malformação urinária (rins em ferradura) edisgerminoma bilateral. Os casos 2 e 3 também apresentaram a mutação IVS9+5G>A, e, no caso4, foi identificada a mutação IVS9+1G>A, sendo que esses três casos foram encaminhados paraestudo molecular em decorrência de GESF e/ou atraso no desenvolvimento puberal. Além disso,as pacientes 2 e 4 desenvolveram tumor gonadal bilateral. Visto que a maioria dos pacientes comSF apresenta genitália externa feminina, não há suspeita de sexo reverso até apresentarem atrasopuberal e/ou amenorreia primária. Portanto, o rastreamento molecular do gene WT1 é de fundamentalimportância para se confirmar o diagnóstico de SF. (AU)