Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de vírus respiratórios associados a doença respiratória aguda grave, em amostras que apresentaram resultado negativo, para o vírus da influenza do tipo A (H1N1) pdm09 durante o período pandêmico

Processo: 12/21922-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Terezinha Maria de Paiva
Beneficiário:Terezinha Maria de Paiva
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/15591-7 - INVESTIGAÇÃO DE VÍRUS RESPIRATÓRIOS ASSOCIADOS A DOENÇA RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE, EM AMOSTRAS QUE APRESENTARAM RESULTADO NEGATIVO, PARA O VÍRUS DA INFLUENZA DO TIPO A(H1N1)pdm 09. DURANTE O PERÍODO PANDEMICO, BP.TT
13/13020-0 - Investigação de vírus respiratórios associados à doença respiratória aguda grave, em amostras que apresentaram resultado negativo, para o vírus da influenza do tipo A A(H1N1)pdm09, durante o período pandêmico, BP.TT
Assunto(s):Infecções respiratórias  Síndrome respiratória aguda grave  Coronavirus humano  Vírus da Influenza A subtipo H1N1  Infecções por vírus respiratório sincicial  Metapneumovirus  Adenovirus  Rhinovirus  Infecções por Paramyxoviridae  Reação em cadeia da polimerase em tempo real  Avaliação de risco à saúde humana 

Resumo

As infecções respiratórias agudas têm importância reconhecida por seus elevados índices de morbidade e mortalidade em crianças e adultos constituindo um dos principais problemas de saúde mundial (Graham, 2001). O conhecimento da diversidade dos vírus envolvidos na infecção do trato respiratório foi ampliado pelas metodologias moleculares que em princípio era utilizada no diagnóstico de vírus não cultivados em culturas celulares. A investigação da etiologia das doenças respiratórias em amostras de pacientes negativas para os vírus da influenza A e B; vírus da parainfluenza 1, 2 , 3, 4a e 4b; vírus respiratório sincicial e adenovírus permitiram a descoberta do metapneumovirus humano (HMPV) (van den Hoogen et al., 2001), coronavírus humanos (HCoV) NL63 (van der Hoek et al., 2004) e HKU1 (Woo et al., 2005), human bocavirus (HBoV Allander et al., 2005), HRC ( Lau et al 2006) and the KI and WU polyomaviruses (Allander et al., 2007; Gaynor et al., 2007), e HRV-QPM (McErlean et al 2007). Em função da emergência de novos vírus responsáveis pela infecção do trato respiratório e sua constante evolução o desenvolvimento e utilização de ensaios que forneçam resultados com maior rapidez, apresentando maior sensibilidade e especificidade é primordial no atendimento à demanda dos Laboratórios de Saúde Pública. A reação da polimerase em cadeia em tempo real (RT-PCR em tempo real) além de possibilitar o diagnóstico rápido apresenta vantagens em relação ao PCR convencional uma vez que apresenta maior sensibilidade e maior especificidade, reduz etapas de risco de contaminação, permite a quantificação do alvo em investigação sendo um teste que apresenta menor tempo de execução, (Beck&Henrickson, 2010).Por ocasião da pandemia do vírus da influenza do total de amostras suspeitas de infecção pelo novo vírus 33.7% foram positivas para o A (H1N1) pdm09, 6.6% foram positivas para o vírus da influenza sazonal. O montante de 60% das amostras, colhidas de indivíduos com suspeita de infecção pelo vírus da influenza do tipo A (H1N1) pdm09, apresentaram resultados negativos para o novo vírus. O Laboratório de Vírus Respiratórios do Núcleo de Doenças Respiratórias do Instituto Adolfo Lutz tem como atribuição a investigação da etiologia das doenças respiratórias agudas; desta forma é de fundamental importância a implantação do painel da Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real (RT-PCR em tempo real) para a investigação do vírus respiratório sincicial, metapneumovirus humanos, vírus da parainfluenza tipos 1, 2 3 e 4, coronavírus humanos 229E, OC43, NL63 e HKU1, Adenovírus, Bocavirus, Rinovírus. O diagnóstico rápido da etiologia viral é importante para adequação da terapia utilizando antivirais uma vez que dependendo do agente identificado sua administração é eficaz no estágio inicial da infecção; para a identificação da verdadeira causa da doença, utilização indiscriminada de antibióticos cuja administração é freqüentemente prescrita para indivíduos infectados por vírus respiratórios; para o conhecimento da história natural do vírus e sua fisiopatologia contribuindo no entendimento das possíveis complicações que podem ocorrer em função das características da infecção; além de minimizar a disseminação pela quarentena, da mesma forma a informação evita o isolamento desnecessário de indivíduos não infectados. O conhecimento da epidemiologia das viroses respiratórias é aprimorado pelo diagnóstico rápido da etiologia viral. Estudos epidemiológicos criteriosos permitem a identificação da população de risco para o agente identificado e contribui na seleção da população a ser vacinada (Templeton, 2007). O diagnóstico rápido da etiologia viral diminui o tempo de hospitalização e testes de laboratório desnecessários (Woo et al 1997, Henrickson, 2007). (AU)