Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação de quinases e microRNAs pela proteína tirosina fosfatase e mecanismo de resistência de células leucêmicas

Processo: 12/05956-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Enzimologia
Pesquisador responsável:Carmen Veríssima Ferreira
Beneficiário:Carmen Veríssima Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Quimioterapia  Transdução de sinais  Neoplasias  Leucemia mieloide aguda  Proteínas tirosina fosfatases  Proteínas quinases  MicroRNAs 

Resumo

O progresso do conhecimento sobre as bases moleculares do câncer tem reforçado o conceito multifatorial desta doença. O grande desafio tem sido desenvolver estratégias para entender o contexto molecular das células tumorais, e assim estabelecer formas terapêuticas "inteligentes" e personalizadas visando aumento da eficiência, especificidade e qualidade de vida do paciente. Neste contexto, os processos responsáveis pela aquisição de resistência a agentes quimioterápicos, bem como desenvolvimento de fármacos capazes de sobrepujar a resistência, constituem uma área importante de investigação. Recentemente, nosso grupo de pesquisa reportou que células da leucemia mielóide crônica resistentes a quimioterápicos apresentam alta expressão e atividade da proteína tirosina fosfatase de baixa massa molecular (LMWPTP). Além disto, demonstramos que o silenciamento desta fosfatase causou uma diminuição da resistência, e que em termos moleculares isto se deu, pelo menos em parte, via inibição das quinases Src e Bcr-Abl, ambas envolvidas com sobrevivência e proliferação. Paralelamente, observamos que o silenciamento da LMWPTP também teve influência negativa sobre a expressão do microRNA Le7a. Desta forma, a fim de fornecer maiores detalhes moleculares do papel desta fosfatase na biologia da resistência, o presente projeto tem como objetivo geral avaliar a importância da LMWPTP na modulação do quinoma e da expressão de microRNAs das células da leucemia eritrocítica humana. O presente projeto tem caráter inédito, uma vez que além do nosso grupo ter sido o primeiro a demonstrar a relação da LMWPTP com o processo de resistência, o desenvolvimento do projeto permitirá identificar possíveis alvos modulados pela LMWPTP e consequente importância dos mesmos para a biologia da resistência de células leucêmicas. (AU)