Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da terapia laser de baixa intensidade na fadiga muscular periférica de mulheres idosas submetidas a um programa de treinamento de força

Processo: 12/12472-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2013 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Helga Tatiana Tucci
Beneficiário:Helga Tatiana Tucci
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Claudia Muniz Renno ; Carlos Eduardo Pinfildi ; Mariana Chaves Aveiro ; Renata Luri Toma
Assunto(s):Fadiga muscular  Treinamento físico  Treinamento de força  Terapia a laser  Força muscular  Eletromiografia  Idosos 

Resumo

Entre as diversas alterações decorrentes do envelhecimento que levam ao declínio da função muscular podemos citar a sarcopenia. Dentro deste contexto, o fortalecimento muscular pode ser importante tanto na prevenção quanto na recuperação de algumas destas alterações musculares. Entretanto, o desempenho muscular durante um treinamento físico pode ser reduzido pela fadiga muscular precoce. O laser, por seu efeito biomodulatório, pode ser um recurso capaz de reduzir a fadiga muscular e, desta forma, aumentar a eficácia muscular no treinamento. Assim, o objetivo deste estudo é analisar a influência da laserterapia de baixa intensidade (LLLT) no desempenho muscular do quadríceps femoral de idosas submetidas um programa de fortalecimento muscular através da análise da fadiga periférica e da progressão dos valores de carga do treinamento. Para isso, 45 idosas serão aleatoriamente distribuídas em 3 grupos: grupo fortalecimento muscular associado a irradiação laser placebo (n=26); grupo fortalecimento muscular associado à irradiação laser ativa (n=26) e grupo controle (n=26) não submetido ao treinamento e a terapia laser. A análise da fadiga muscular periférica será realizada através da eletromiografia de superfície, da lactacidemia, de marcadores inflamatórios e os valores de carga obtidos em cada reavaliação da 1-Repetição Máxima (1-RM). O treinamento de força terá duração de 8 semanas e o fortalecimento do quadríceps femoral será feito em cadeira extensora, seguindo recomendações da American College of Sports Medicine. A LLLT será realizada após cada sessão de treinamento ao longo dos músculos reto femoral, vasto medial e vasto lateral da perna dominante. Antes da primeira, depois da última sessão de treinamento e 24 horas após esta sessão a atividade eletromiográfica do músculo reto femoral, vasto medial e vasto medial e a coleta de amostras sanguíneas serão feitas pós-protocolo de fadiga do quadríceps femoral. O protocolo de fadiga consta da realização do de uma tarefa em contração isométrica voluntária submáxima feita até a exaustão com 80% do valor de força obtido pela contração isométrica voluntaria máxima. Do sinal eletromiográfico bruto serão derivados os valores de frequência mediana (FMed), cálculo matemático utilizado para análise de fadiga eletromiográfica. Os valores normalizados de FMed, dos marcadores inflamatórios de lactacidemia antes e após programa de treinamento de força muscular serão comparados intergrupos e intragrupos e os valores de carga durante o treinamento serão comparados entre grupos. A normalidade em termos de distribuição da amostra será averiguada para a escolha de testes estatísticos apropriados. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TUCCI, HELGA TATIANA; FIGUEIREDO, DANIELLE S.; CARVALHO, RAQUEL DE PAULA; SOUZA, ANA C. F.; VASSAO, PATRICIA G.; RENNO, ANA C. M.; CIOL, MARCIA A. Quadriceps femoris performance after resistance training with and without photobiomodulation in elderly women: a randomized clinical trial. Lasers in Medical Science, v. 34, n. 8, p. 1583-1594, OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.