Busca avançada
Ano de início
Entree

Fronteiras e assimetrias em fonologia e morfologia

Processo: 12/17869-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Maria Filomena Spatti Sandalo
Beneficiário:Maria Filomena Spatti Sandalo
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Maria Bernadete Marques Abaurre ; Plinio Almeida Barbosa
Pesq. associados: Andrew Ira Nevins ; Bruna Franchetto ; Jose Sueli de Magalhães ; Michael Becker ; Nina Topintzi ; Pablo Arantes
Bolsa(s) vinculada(s):14/26409-5 - Morfologia de valência em categorias deverbais: um estudo sobre assimetrias, BP.PD
13/11693-7 - A expressão da recursividade em Pirahã: documentação, descrição e análise (MURA), BP.PD
Assunto(s):Fonologia  Morfologia (linguística)  Línguas indígenas  Português do Brasil 

Resumo

Embora simetria seja uma característica de línguas naturais, há uma grande variedade de assimetrias que emergem em posições proeminentes (cf. Beckman 1999, Becker 2009, Becker et alii. 2012, Topintzi 2010). Beckman (1999) argumenta que, em posições proeminentes, contrastes em termos de traços são raramente neutralizados e trata este fato em termos de uma teoria de fidelidade posicional partindo da Teoria da Otimalidade. Trazemos aqui, entretanto, um conjunto de fenômenos de línguas faladas no Brasil (português e línguas indígenas) que apresentam fenômeno de neutralização, enfraquecimento e transparência fonológica em posições proeminentes. Este projeto levanta a hipótese inicial de que posições proeminentes preferem estruturas marcadas (Zoll 1997) que podem envolver neutralização e enfraquecimento, e não somente estruturas resistentes a neutralizações em algumas tipologias. E, assim, levantamos a questão central deste estudo: qual configuração de gramática e interface é mais adequada para o estudo de marcação capaz de capturar assimetrias posicionais. Mais especificamente, perguntamos se a gramática funciona de maneira serial (em derivações cíclicas como uma "máquina de turing") ou através de uma arquitetura representacional. Embora este tema não seja original nos estudos da teoria de gramática, ainda não há em parte alguma uma resposta definitiva para esta indagação (cf. Embick 2010), e, além disso, considera-se atualmente a possibilidade de uma arquitetura híbrida (cf. Trommer 2002). Neste projeto, portanto, abordamos essas questões através de metodologia multidisciplinar, integrando experimentos comportamentais, análise acústica, e modelagem computacional juntamente com teoria. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Tecnologia ajuda a traçar expansão dos idiomas indo-europeus e a preservar línguas indígenas  

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BECKER, MICHAEL; NEVINS, ANDREW; SANDALO, FILOMENA; RIZZATO, ERICK. The Acquisition Path of [w]-final Plurals in Brazilian Portuguese. JOURNAL OF PORTUGUESE LINGUISTICS, v. 17, 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.