Busca avançada
Ano de início
Entree

Conforto térmico em espaços públicos abertos: aplicação de uma metodologia em cidades do interior paulista

Processo: 07/00563-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2007 - 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Lucila Chebel Labaki
Beneficiário:Lucila Chebel Labaki
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Conforto térmico  Espaço público  Espaço urbano  Qualidade ambiental  Microclima urbano 

Resumo

Os espaços externos urbanos constituem ambientes essenciais da cidade, uma vez que podem favorecer o lazer, a estética e a qualidade ambiental urbana. Pesquisas têm demonstrado que a qualidade, quantidade e formas de uso desses espaços são fortemente influenciadas pelas suas características microclimáticas - temperatura, umidade, radiação solar e ventos, que interferem no conforto térmico dos usuários. Por isso, o conhecimento das condições de conforto térmico nesses espaços, que também depende da atividade exercida, vestimenta, além de fatores físicos e psicológicos dos indivíduos, é fundamental para subsidiar o planejamento comprometido com a qualidade de vida no espaço urbano. Nesse enfoque, este trabalho tem como objetivo analisar aspectos qualificadores de espaços públicos abertos, como os microclimas e o conforto térmico de usuários, em diferentes cidades do interior paulista, a partir de monitoramentos microclimáticos e aplicação de questionários aos usuários. Para isso, serão desenvolvidos estudos de casos em espaços públicos abertos nas cidades de Campinas, Bauru e Presidente Prudente, no Estado de São Paulo, utilizando a metodologia desenvolvida pelo projeto RUROS (Rediscovering the Urban Realm and Open Spaces), adaptando-a a realidade climática e cultural Paulista. Os resultados do monitoramento das condições microclimáticas (temperatura do ar, temperatura de globo, umidade relativa do ar, velocidade do ar, radiação solar), e da aplicação de questionários sobre a sensação térmica, junto aos usuários, permitirão avaliar limites de conforto real e correlacioná-los com modelos preditivos de conforto térmico em espaços externos, no sentido de identificar diferenças entre as condições de conforto objetiva e subjetiva. A pesquisa também se baseará em Marcus & Francis (1998), para uma análise preliminar do desempenho dos espaços quanto aos aspectos de circulação, atividades/mobiliário, microclimas, presença de subespaços, imprescindíveis para a criação de diretrizes de projeto. Com essa pesquisa, pretende-se analisar a aplicabilidade de índices preditivos de conforto, avaliar os principais parâmetros que influenciam os microclimas e o conforto térmico dos usuários, e contribuir para estudos de conforto térmico em espaços públicos abertos no Estado de São Paulo. Pretende-se, ainda, gerar subsídios de intervenção projetual, não apenas para os espaços avaliados, mas para a criação e ou renovação de ambientes semelhantes. A pesquisa será desenvolvida sob a coordenação da Prof. Dra. Lucila Chebel Labaki, da UNICAMP, com a colaboração das professoras Dra. Maria Solange G. De C. Fontes e Dra. Carolina Lotufo Bueno Bartholomei, da UNESP de Bauru e de Presidente Prudente, respectivamente. Além disso, a pesquisa contará com a consultoria da Prof. Dra. Marialena Nikolopoulou da Universidade de Bath, Inglaterra, que coordenou o Projeto RUROS, desenvolvido pela comunidade Européia. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.