Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resistência transmitida em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) e em falha ao HAART usando sequenciamento de nova geração

Processo: 12/21577-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Shirley Cavalcante Vasconcelos
Beneficiário:Shirley Cavalcante Vasconcelos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Ricardo Sobhie Diaz
Assunto(s):Terapia antirretroviral de alta atividade  Análise de sequência de DNA  Polimorfismo genético  Genes virais  HIV-1 

Resumo

Em 1996 foi iniciada a Terapia Antirretroviral Altamente Ativa (HAART), que reduziu tanto a mortalidade quanto a morbidade dos infectados pelo HIV-1, porém junto com o HAART houve a emergência de populações virais resistentes selecionadas pela pressão seletiva dos medicamentos. Essas populações virais surgem a partir da falta de adesão do paciente ao tratamento, farmocinética dependente da genética do hospedeiro, presença de tecidos santuários, entre outros. Juntamente a isso, há a presença de mutações transmitidas aos antirretrovirais (ARVs), onde o indivíduo é infectado por um vírus já resistente. Por esses motivos a pesquisa de novas drogas direcionadas a diferentes alvos do ciclo viral é essencial, pois estas podem ser utilizadas em terapia de resgate para indivíduos em falha ao HAART. Apesar do monitoramento das mutações de resistência aos ARVs, não há dados suficientes relacionados à resistência transmitida e aos polimorfismos causados pelas drogas usadas no tratamento de resgate. Também há muita divergência sobre a importância das variantes minoritárias para o tratamento antirretroviral. Atualmente, as classes de drogas utilizadas para o resgate de indivíduos em falha ao HAART, são: inibidor de integrase - Raltegravir, inibidor de protease - Darunavir e o inibidor da transcriptase reversa não análogo de nucleosídeo (ITRNN) de segunda geração - Etravirina. Esses medicamentos são cruciais no tratamento de resgate, pois possuem ação eficaz contra todas as variantes virais resistentes aos ARV utilizados atualmente. Sendo assim, o principal objetivo deste estudo é avaliar através do sequenciamento de ultima geração a ocorrência de resistência transmitida e/ou polimorfismos que poderiam impedir ou diminuir a susceptibilidade aos ARVs Raltegravir, Darunavir e Etravirina no resgate de pacientes multifalidos da cidade de São Paulo. (AU)