Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do sistema antioxidante e influência do gênero na capacidade de desenvolvimento in vivo de embriões iniciais em diferentes modelos de diabete experimental

Processo: 12/17275-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2013 - 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Débora Cristina Damasceno
Beneficiário:Débora Cristina Damasceno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Felipe Perecin ; Rafael Henrique Nóbrega
Bolsa(s) vinculada(s):13/13364-0 - Influência de diferentes intensidades hiperglicêmicas na performance reprodutiva de ratas Sprague Dawley, BP.TT
Assunto(s):Diabetes gestacional  Diabetes mellitus  Hiperglicemia  Estresse oxidativo  Embriogênese  Anormalidades congênitas 

Resumo

Gestantes diabéticas apresentam taxas de malformações congênitas e morbimortalidade perinatal cinco vezes maior que gestantes não diabéticas. O metabolismo energético anormal associado à hiperglicemia altera a embriogênese inicial, podendo afetar o futuro crescimento e desenvolvimento embriofetal. Assim, acredita-se que as repercussões do diabete com efeito a curto, médio e longo prazo podem ser decorrentes do insulto causado pela hiperglicemia materna em períodos iniciais do desenvolvimento. Como a hiperglicemia induz aumento na produção de estresse oxidativo, nós pretendemos avaliar se alterações no desenvolvimento embrionário in vivo estão relacionadas como o sistema antioxidante de defesa imaturo em conjunto com a sensibilidade gênero-específica, para esclarecer se esses mecanismos estão envolvidos na sobrevivência do embrião inicial e/ou se contribuem para o aparecimento de embriopatias e outras repercussões a curto, médio e longo prazo nos fetos expostos ao ambiente diabético. Muitos estudos foram desenvolvidos em nosso laboratório para avaliar as repercussões do diabete nos resultados perinatais. A partir de parcerias com outros pesquisadores pretendemos utilizar novas ferramentas metodológicas para avançar a compreensão sobre os mecanismos fisiopatológicos envolvidos nas repercussões embriofetais. Nesse caso, os possíveis mecanismos de sobrevivência do embrião inicial serão avaliados através da utilização de probes moleculares e da técnica de bipartição de mórulas, para estabelecer um padrão exato da resposta do hemi-embrião ao estresse oxidativo exacerbado pelo diabete, a técnica de reimplantação de outro hemi-embrião em fêmeas receptoras para avaliar o envolvimento do sistema antioxidante na capacidade de implantação e de desenvolvimento no ambiente hiperglicêmico. (AU)