Busca avançada
Ano de início
Entree

Música e Civilização: a atividade musical no Rio de Janeiro oitocentista (1808-1863).

Processo: 13/03604-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Jean Marcel Carvalho França
Beneficiário:Jean Marcel Carvalho França
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Música  História do Brasil Império  Rio de Janeiro  Século XIX 

Resumo

No decorrer do século XIX, a música e o teatro lírico ocuparam lugar de destaque no cenário musical do Rio de Janeiro. Após o desembarque da corte portuguesa, em 1808, a cidade assistiu a inauguração de novos teatros e passou a receber a presença de músicos e companhias líricas estrangeiras, possibilitando um contato com óperas e peças musicais de sucesso na Europa. Embora apresentando um leve declínio entre as décadas de 30 e 40 do oitocentos, a atividade musical continuou ocupando um espaço privilegiado na sociedade fluminense, figurando também nas páginas de diversos periódicos do período. Em tais textos, os escritores e colunistas abordavam os mais variados relacionados à música, desde a programação teatral até a descrição do ambiente dos teatros e comportamento dos espectadores. Entre as principais tópicas, estava a preocupação com o desenvolvimento de uma música de inspiração nacionalista, ideal que culminou com a fundação da Imperial Academia de Música e Ópera Nacional em 1857. No âmbito dessa instituição, um número significativo de óperas nacionais foi levada aos palcos da cidade. É objetivo desse trabalho, portanto, analisar os artigos e crônicas acerca da música publicados em jornais e revistas oitocentistas, juntamente com os libretos de óperas nacionais produzidas no período, buscando identificar os principais tópicos presentes nestes textos; isto é, identificar os principais critérios de análise e expectativas dos homens de cultura do período em relação à atividade musica, e, principalmente, à produção de uma música de inspiração nacionalista. (AU)