Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação entre os métodos automático e manual para medida da fração de volume de membros fetais por meio da ultrassonografia tridimensional: validação de um novo software na população brasileira

Processo: 13/01464-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2013 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Edward Araujo Júnior
Beneficiário:Edward Araujo Júnior
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Luciano Marcondes Machado Nardozza
Assunto(s):Ultrassonografia pré-natal  Peso fetal  Softwares  Validação de programas de computador 

Resumo

A ultrassonografia bidimensional (US2D) é tradicionalmente utilizada em todo o mundo para a predição de peso fetal ao nascimento, contudo, em idades gestacionais avançadas, mostra-se um método pouco preciso devido às maiores dimensões fetais e a diminuição relativa do volume de líquido amniótico. A ultrassonografia tridimensional (US3D), devido à capacidade de delimitação da superfície externa das estruturas, permite de maneira efetiva quantificar o tecido macio dos membros fetais, avaliando o estado nutricional fetal e a predição de peso ao nascimento. A fração de volume de membro (FVM), descrita por Lee et al. em 1998, corresponde a 50% do volume da porção central do membro, que contém a maior quantidade de tecido macio. A FVM manual é um método validado para a avaliação do estado nutricional e predição de peso fetal, sendo um software disponível comercialmente no aparelho Voluson E8 (General Eletric, Medical System, Healthcare, Zipf, Austria). Contudo, o cálculo da FVM pelo método manual apresenta maior gasto de tempo, além de ser operador dependente. Recentemente, a empresa Siemens AG (Siemens Corp., Erlangen, Germany) projetou um software chamado Auto OB para o cálculo automático de estruturas fetais bidimensionais. O Prof. Wesley Lee, hoje no Baylor College of Medicine, desenvolveu junto com a empresa Tomtec Imaging System (Munich, Germany) um software Auto OB para cálculo automático da FVM, que, no momento, está sendo validado apenas na população americana. Proposta: O método automático, se comprovada a validação, é mais rápido e menos operador dependente, possibilitando a sua venda comercial para clínicos e pesquisadores no mundo, de forma a avaliarem de maneira mais prática o estado nutricional e predição de peso fetal ao nascimento. Objetivo: 1. Aquisição de um aparelho da marca ACUSON S-2000 (Siemens, Erlangen, Germany) para validação brasileira de um software de cálculo automático da FMV; 2. Comparar os métodos manual e automático de cálculo da FVM em uma amostra de gestantes da população brasileira, de forma a se tentar validar um novo software. Métodos: Será realizado um estudo prospectivo transversal com 120 gestantes que tiverem previsão de parto em até quatro dias no Departamento de Obstetrícia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Será utilizado um aparelho da marca ACUSON S2000 (Siemens AG, Erlangen, Germany) com transdutor convexo volumétrico. Será calculada a fração de volume do braço e da coxa fetais utilizando os métodos manual, que consiste na delimitação de cinco planos equidistantes entre si, e o método automático. Para se avaliar a concordância entre as técnicas, serão utilizados os gráficos de Bland-Altman. Para se verificar diferenças no tempo de cálculo de cada técnica, será utilizado o teste t-Student pareado. Para se verificar diferenças entre as estimativas de peso fetal por ambas as técnicas em relação ao peso real ao nascimento, será utilizado o teste de McNemar. Resultados esperados: A comprovação da validação do novo software levará o patenteamento do mesmo, incluindo os nomes dos pesquisadores do estado de São Paulo envolvidos no estudo. Isso permitirá à empresa Siemens AG a venda comercial do mesmo, possibilitando a pesquisadores de todo o mundo uma nova ferramenta de estudo do estado nutricional fetal. Para o grupo brasileiro, esta validação abrirá perspectivas de novos estudos multicêntricos, além da possibilidade de validações de novos softwares, contribuindo para o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia em nosso país. Para os clínicos, possibilitará uma nova ferramenta de monitorização de fetos com alto risco de distúrbios de crescimento intrauterino, contribuindo para diminuição da morbidade e mortalidade perinatal. (AU)