Busca avançada
Ano de início
Entree

Método para aumentar a taxa de implantação de embriões no útero materno em mamíferos, uso de uma quantidade eficaz de uma lectina ligante de beta-galactosídeo ou derivados e produto: desenvolvimento e ampliação de mercado

Processo: 12/51010-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Marcelo Roncoletta
Beneficiário:Marcelo Roncoletta
Empresa:Inprenha Biotecnologia e Desenvolvimento Animal Ltda
Município: Jaboticabal
Assunto(s):Inseminação artificial animal  Implantação do embrião  Lectinas  Prenhez 

Resumo

Para ser rentável no mercado agropecuário, qualquer propriedade precisa manter a eficiência reprodutiva do rebanho, ou soja, obtenção de boas taxas de prenhêz e redução das perdas embrionárias no início da gestação são pontos fundamentais. Nesse contexto, a empresa vem conduzindo P&D de forma cooperada e bem sucedida, já com depósito de pedido de patente nacional (INPI 0000921010993657), internacional (PCT/WO2012/083396A12), ambos em regime de co-titularidade (USP). A inovação sugerida tem mostrado resultados extremamente satisfatórios no aumento da % de prenhez, já que fornece ao útero uma quantidade eficaz de uma lectina ligante de beta-galactosídeo ou derivados da mesma (molécula funcional), que participa de processos biológicos como adesão, proliferação, diferenciação e ciclo celulares; apoptose; processamento de RNA; controle do processo inflamatório e resposta imunológica adaptativa (Stoweel et al., 2007; Leffer et al., 2004), sendo um importante mediador da prevenção da perda fetal e/ou mortalidade embrionária na transferência de embriões (TE) produzidos in vivo. Isso demonstrou a viabilidade técnico-científica do produto inovador (ou a conclusão da FASE 1). Como continuidade do plano de P&D relacionado à inovação, caminhamos com a execução da FASE II do projeto (2011/50792-5, contemplado em jan/2012) - cujas etapas de (i) escalonamento de produção da molécula funcional e (ii) validação do produto/inovação em TE com embriões produzidos in vitro (PIV) e nas particularidades entre as subespécies bovinas (taurina/zebuína) estão sendo bem conduzidas. Paralelamente, a empresa conta com apoio financeiro em RH pelo RHAE (550772/2011-1) e tem apoiado pesquisas acadêmicas, conduzidas no Laboratório de Glicobiologia/FCFRP/USP, visando à compreensão do mecanismo de ação da molécula funcional frente ao reconhecimento materno. Os resultados obtidos até o momento demonstram um cenário bastante positivo: avanços quanto ao potencial de produção (aumento de escala e adequação do parque de novos equipamentos), estabilidade da molécula frente à liofilização e variações de temperatura de armazenamento, possibilitando aumento do prazo de validade do produto; e resultados de TE com embriões PIV em zebuínos e taurinos (aumento de 10 % com uso da molécula funcional). Assim acredita-se que o produto pode atingir um mercado maior que o primeiramente proposto - vislumbramos, como objetivo desse projeto - o registro do produto nos órgãos competentes (MAPA/ANVISA); a certificação do(s) produto(s); um plano de marketing para divulgação e ampliação de market share frente ao objetivo primeiramente proposto (mercado TE/bovinos); além da verificação da possibilidade de uso do produto em diferentes mercados como (i) TE em outras espécies (pequenos ruminantes) e (ii) na IA de bovinos e pequenos ruminantes, ampliando o potencial de ação, o market share e conseqüentemente o cenário lucrativo da empresa. Somente o mercado nacional de IA bovina, movimentou em 2011 - 12 milhões/doses de sêmen, além do potencial mercado de IA em ovinos e caprinos, em ascensão. (AU)