Busca avançada
Ano de início
Entree

A hibridização entre o desenho analógico e digital e sua contribuição no processo projetivo arquitetônico

Processo: 13/03412-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2013 - 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Projeto de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Simone Helena Tanoue Vizioli
Beneficiário:Simone Helena Tanoue Vizioli
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Projeto de arquitetura  Desenho arquitetônico  Croqui  Tablet (dispositivos móveis) 

Resumo

Este projeto é parte dos estudos e atividades que vêm sendo desenvolvidos no N.elac (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Estudos de Linguagem em Arquitetura e Cidade) do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - São Carlos. O grupo desenvolve pesquisas de temas relacionados à Linguagem e Representação dando ênfase aos processos cognitivos presentes tanto na percepção da cidade e da arquitetura, quanto nos processos projetuais. Procura-se caracterizar as diferentes perspectivas teóricas e práticas existentes na relação dos meios de representação com o ensino de Arquitetura e Urbanismo, atentos às relações processuais e metodológicas existentes entre elas. As atividades de extensão, desenvolvidas pelo grupo, constituem o campo de aplicação das pesquisas objetivando o questionamento dos limites e funções das hipóteses adotadas. Dessa maneira, objetiva-se destacar os vínculos entre os meios de representação, artísticos ou não, e a consciência crítica e propositiva de espacialidade, seja urbana ou arquitetônica. Este projeto, especificamente, está vinculado à linha de pesquisa "Meios de representação em Arquitetura e Cidade" (Coordenador: Simone Helena Tanoue Vizioli), que tem como objetivo discutir o papel dos suportes tradicionais e dos novos meios digitais de desenho (tablets), no processo projetivo e na formação do pensamento arquitetônico. Pretende-se adotar a experimentação como campo possível para flagrar fatos que contribuam para tal debate. Um campo de investigação onde as diversas lógicas de pensamento se contagiam e possibilitam um desdobramento em novos processos cognitivos. Um espaço para a reflexão do processo de resignificação do ato de desenhar na constituição da própria educação do olhar. O mundo atual, globalizado, é marcado pela abundância dos meios de comunicação visual e da indústria do entretenimento, frutos do progresso tecnológico. Esses ingredientes marcam um horizonte norteado pela imagem, que exalta o espetáculo e o efêmero. Percebe-se, no entanto, uma retomada da discussão e valorização das qualidades inerentes do desenho feito à mão nos processos de concepção de projetos, seja no campo da arquitetura, seja no campo do design. Após certa euforia no uso de programas de ajuda ao desenho digital, o debate começa a matizar a função das especificidades de cada gênero de desenho, e destacar o retorno ao desenho livre nas fases iniciais do desenvolvimento de um projeto. Hipótese da pesquisa: não obstante o fato de os meios de representação se inovarem e as tecnologias se desenvolverem rapidamente, os desenhos à mão-livre, croquis ou esboços, são e continuarão sendo um recurso intelectual fundamental no processo projetivo arquitetônico. A partir deste pressuposto, os meios de desenhos digitais alargam o universo de variedades e possibilidades entre as fases de criação e redução, entre o movimento pendular mente/ corpo, entre a ideia e a representação, próprios da feitura dos croquis. A hibridização é a resposta às necessidades e potencialidades no processo de projetar. Objetivos: esta pesquisa pretende sistematizar um olhar sobre o desenho à mão livre no processo projetivo, considerando a complexidade colocada em pauta pela hibridização entre o meio analógico e o digital. Nesta explosão operativa dada pelo uso do computador, pautada pela busca da perfeição figurativa por meio da realidade virtual, tem havido um tensiomento do desenho. Recorta-se o estudo comparativo entre o meio analógico puro, desenho sobre papel, e os processos digitais de captura do gesto de desenhar, com o intuito de flagrar novas relações qualitativas entre o meio de representação e o processo cognitivo característico do ato de projetar. (AU)