Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de novas formulações de iscas para o controle de formigas cortadeiras

Processo: 05/55816-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de janeiro de 2006 - 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Fabiana Correa Bueno
Beneficiário:Fabiana Correa Bueno
Empresa:Tapinoma Indústria e Comércio de Desinfetantes Ambientais Ltda. - ME
Município: Rio Claro
Bolsa(s) vinculada(s):05/58703-0 - Desenvolvimento de novas formulações de iscas para o controle de formigas cortadeiras, BP.PIPE
Assunto(s):Controle biológico  Pragas de plantas  Formigas cortadeiras  Saúva 

Resumo

Devido às alterações que a atividade humana tem provocado no ambiente, algumas espécies de formigas estão tornando-se pragas incontroláveis. Entre as espécies que causam maiores prejuízos estão as formigas cortadeiras pelo desfolhamento que causam nas plantas, atacando principalmente as monoculturas. As formas atuais de controle dessas formigas, apesar do custo elevado, apresentam apenas efeitos temporários e certos danos ao ambiente, constituindo-se numa grande preocupação ecológica. Como consequência, há um aumento em pesquisas que buscam substituir os agrotóxicos tradicionais ou que procuram otimizar o uso dos ingredientes ativos atuais. A maioria das estratégias de controle químico causa a morte das formigas por contato, o que não é suficiente para o controle da população de formigas numa determinada área. Entre as estratégias atuais destacam-se as iscas tóxicas, por serem incorporadas no ciclo alimentar da colônia, permitindo a ação do inseticida por ingestão. Porém, para que uma isca seja eficiente e economicamente viável, dentre outras características, é fundamental se conhecer a qualidade e a forma de ação dos ingredientes ativos. Na busca de novos ingredientes ativos para o controle de formigas em geral, análises toxicológicas foram realizadas recentemente, utilizando vários compostos empregados no combate de diversas pragas agrícolas e os que se mostraram mais promissores para uso em iscas foram os inibidores da respiração celular e os reguladores de crescimento. BUENO (2005), baseando-se nessas informações e utilizando nova metodologia para seleção de ingredientes ativos, desenvolveu uma formulação de isca contendo hidrametilnona (inibidor da respiração celular) com resultados satisfatórios no controle de colônias de Atta sexdens rubropilosa mantidas em laboratório e de campo, localizadas em área de reflorestamento. Considerando que a metodologia de isca é a mais utilizada no controle de formigas cortadeiras e se aplicada corretamente aumenta a chance de se obter sucesso no controle da colônia, que reduz os riscos ambientais devido à pequena quantidade de ingrediente ativo utilizado e que os custos de produção são relativamente baratos por utilizar sub produto da indústria da laranja, o presente projeto tem por objetivo aperfeiçoar o sistema de controle de formigas cortadeiras, focando três aspectos importantes: otimizar o uso dos ingredientes ativos, analisar associações de compostos que possam resultar em sinergismo e desenvolver novas formulações. Especificamente na Fase I pretende-se: 1. verificar se a metodologia desenvolvida por BUENO (2005) é funcional para outros ingredientes ativos; 2. obter novas formulações com o uso de substâncias sinergistas ou que facilitem a ação do ingrediente ativo no interior do inseto; 3. verificar se os resultados obtidos para hidrametilnona em escala laboratorial se repetem quando a metodologia for aplicada para escalas maiores, para outras culturas e para outras espécies de formigas cortadeiras (AU)