Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de métodos diagnósticos de Hantavirose

Processo: 05/55946-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de janeiro de 2006 - 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Sandra Aparecida Cororato dos Santos
Beneficiário:Sandra Aparecida Cororato dos Santos
Empresa:Nanocore Biotecnologia S/A (NANOCORE)
Município: Campinas
Bolsa(s) vinculada(s):05/60683-8 - Desenvolvimento de kits de diagnóstico para Hantavirose, BP.PIPE
Assunto(s):Diagnóstico clínico  DNA recombinante  Hantavirus  Síndrome pulmonar por Hantavirus 

Resumo

O presente projeto busca desenvolver e validar testes para diagnóstico laboratorial e a campo da Síndrome Pulmonar e Cardiovascular por Hantavirus (SPCVH), uma doença grave, altamente letal, que ocorre na América do Sul e que é transmitida pelo contato com excretas de roedores silvestres Sigmodontinae. Para este diagnóstico, a proteína viral N do nucleocapsídio do vírus tem sido amplamente utilizada como antígeno. No Brasil, o diagnóstico sorológico da SPCVH é feito por ELISA utilizando-se proteínas dos Hantavirus Sin Nombre ou Andes que são importadas dos Estados Unidos ou da Argentina. Os testes a serem desenvolvidos neste projeto utilizam a proteína N recombinante do Hantavírus cepa Araraquara, uma cepa isolada no Brasil pela equipe do Prof. Luiz Tadeu Moraes Figueiredo da FMRP. Trata-se de um projeto inovador cuja origem é na Universidade de São Paulo e a validação dos testes e o processo de produção industrial serão desenvolvidos por uma empresa de base tecnológica incubada em Ribeirão Preto na Incubadora SUPERA, a Nanocore Biotecnologia Ltda. Além do teste de ELISA clássico, propõe-se o desenvolvimento de um teste rápido, conhecido como teste de imunocromatografia, desenvolvido para ser realizado no ponto de atendimento do paciente, trazendo uma série de vantagens para o sistema de saúde pública, por propiciar rapidez em manejos clínicos fundamentais na rotina médica do país (AU)