Busca avançada
Ano de início
Entree

Atualização tecnológica de amplificadores ópticos a fibra dopada com érbio

Processo: 98/07978-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 1998 - 31 de julho de 2002
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos
Pesquisador responsável:Ildefonso Félix de Faria Júnior
Beneficiário:Ildefonso Félix de Faria Júnior
Empresa:Optolink Indústria e Comércio Ltda
Município: Campinas
Bolsa(s) vinculada(s):00/01652-1 - Atualização tecnológica de amplificadores a fibra dopada com érbio, BP.TT
00/01805-2 - Atualização tecnológica de amplificadores a fibra dopada com érbio, BP.TT
00/03214-1 - Atualização tecnológica de amplificadores a fibra dopada com érbio, BP.TT
99/05456-3 - Atualização tecnológica do amplificador óptico a fibra dopada com érbio, BP.PIPE
Assunto(s):Amplificadores ópticos 

Resumo

O objetivo deste projeto é o aperfeiçoamento da tecnologia de Amplificadores Ópticos a Fibra Dopada com Érbio (AFDE), bem como implantar um laboratório de caracterização para o produto. AFDEs são equipamentos de amplificação de sinais ópticos transmitidos por fibras ópticas, alimentado por uma fonte também óptica (laser semicondutor, dispositivo optoeletrônico de alta potência). Trata-se de uma tecnologia inicialmente desenvolvida no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD/Telebrás) e que passou por uma atualização tecnológica nos últimos seis meses. As mudanças fundamentais no projeto inicial foram o desenvolvimento de uma eletrônica de controle baseada em circuitos microprocessados e a construção de um aparelho de medidas que permite monitorar os parâmetros internos dos amplificadores, tais como corrente e temperatura do laser de bombeio; potência óptica na entrada e na saída do amplificador; interface RS232 para interligação com sistemas de supervisão; e gerência das centrais telefônicas. Para a segunda fase será dada continuidade ao desenvolvimento, concentrando atenção para o módulo de ganho óptico. Serão utilizados filtros especiais para a equalização do ganho óptico na faixa de operação que, além de produzir um ganho planarizado, permite um pequeno alargamento da banda óptica do amplificador. Serão usadas fibras ópticas especiais e também arquitetura de bombeio para produzir amplificadores na banda óptica de 1570 a 161O nm banda L). (AU)