Busca avançada
Ano de início
Entree

EIE - Espaços Inteligentes para Engenharia

Processo: 05/01536-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2005 - 31 de agosto de 2007
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação
Pesquisador responsável:Flávio Soares Corrêa da Silva
Beneficiário:Flávio Soares Corrêa da Silva
Instituição-sede: Instituto de Matemática e Estatística (IME). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Inteligência artificial  Interação homem-máquina  Ontologia (ciência da computação)  Engenharia de ontologias  Aeronaves 

Resumo

Espaços inteligentes são ambientes digitais sensíveis e responsivos à presença de pessoas. Suas características chave são inteligência e ubiqüidade. Inteligência diz respeito ao ambientepoder analisar o contexto, se adaptar às pessoas e objetos que o habitam, aprender com seu comportamento e possivelmente até reconhecer e expressar emoções. Ubiqüidade indica que dispositivos miniaturizados farão parte de forma invisível das atividades das pessoas, em que as interações e funções sociais serão proeminentes.Um exemplo concreto com essas características é um hangar para manutenção de sistemas complexos de engenharia, por exemplo a manutenção rotineira de aeronaves em operação. A inspeção e manutenção de uma aeronave segue procedimentos rigorosos e estritos definidos pelo fabricante da aeronave. Ela ocorre, entretanto, nos diversos aeroportos onde essa aeronave pousa, e é gerenciada por uma companhia aérea proprietária da aeronave. Temos, portanto, três organizações que interagem para a inspeção e manutenção de uma aeronave - o fabricanteda aeronave, o pessoal do aeroporto e o proprietário da aeronave. A interação tem como objetivo garantir a segurança e qualidade daaeronave, minimizando o período de bloqueio para operações de inspeção e manutenção. Essa atividade mobiliza pessoal altamente especializado, localizado tanto junto à aeronave como remotamente. Características altamente dinâmicas interferem no processo, como por exemplo a disponibilidade de equipamentos e pessoal especializado para efetuar medições e intervenções em aeronaves. As medições e intervenções ótimas a efetuar, portanto, variam dependendo de circunstâncias locais e momentâneas encontradas.Em um contexto como esse, existem diferentes "tempos" que precisam ser sincronizados e diferentes modelos da realidade física que precisam ser acoplados: existe um fluxo de informações técnicas das características da aeronave relacionadas a propriedades físicas (por exemplo de materiais) e a procedimentos de engenharia relevantes; umfluxo de comunicações entre os diferentes agentes (humanos e de software) envolvidos no processo; e um fluxo de processos ocorrendofisicamente durante as intervenções e medições efetuadas. Todos esses fluxos devem ocorrer sem interferências ou barreiras de caráter tecnológico (por exemplo interrupções em meios de comunicação ou atrasos nas intervenções nas aeronaves devido à necessidade de verificar se um equipamento está disponível), portanto a assistência automatizada do ambiente para executar as devidas medições e intervenções pode ser muito útil. O meio de apresentação deinformações também deve ser variável de acordo com a conveniência gerada pelas intervenções efetuadas. Por exemplo, um desenho detalhadoda estrutura sendo reparada pode ser útil, porém inadequado em espaços reduzidos e de difícil acesso, se esse desenho for apresentado em umatela de computador de grandes proporções ou em papel. O mesmo desenho pode se tornar mais útil se puder migrar instantaneamente paradiferentes dispositivos - por exemplo computadores de mão - ainda que apresentado com diferentes graus de detalhamento segundo a capacidade de cada dispositivo.Um espaço inteligente como o delineado acima exige a integração e desenvolvimento conjunto de pesquisas normalmente dissociadas, relacionadas ao desenvolvimento de sistemas para interação homem-máquina, inteligência artificial e sistemas móveis e distribuídos. No presente projeto, promoveremos essa integração, tomando como base o protótipo delineado acima.O projeto conta com a participação de pesquisadores da Universidade de Aberdeen (Escócia), e também com o apoio da EMBRAER. (AU)