Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção industrial de ampicilina por rota enzimática

Processo: 03/13177-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2005 - 30 de setembro de 2007
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Fabiana Batigalhia
Beneficiário:Fabiana Batigalhia
Empresa:Podotti Laboratório Farmacêutico Ltda
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):07/50332-9 - Produção industrial de ampicilina por rota enzimática, BP.PIPE
05/56564-3 - Produção industrial de ampicilina por rota enzimática, BP.PIPE
Assunto(s):Indústria farmacêutica  Química verde  Síntese enzimática  Antibióticos  Penicilina G 

Resumo

Antibióticos beta-lactâmicos estão entre os fármacos de maior consumo humano. Atualmente, todos esses princípios ativos são importados pelo Brasil. A produção mundial de antibióticos beta-lactâmicos se deslocou, a partir da década de 80, para países como Índia, China, México, Venezuela. Um fator que pode ter influído nessa tendência é o alto grau de insalubridade de solventes empregados e o impacto ambiental dos resíduos produzidos por esses processos, que utilizam rotas químicas convencionais de síntese. Recentemente, esforço intenso vem sendo encetado na busca por tecnologias "verdes" para esses produtos, com as rotas químicas substituídas por enzimáticas. Em 2000, colocaram-se no mercado brasileiro 130 toneladas de ampicilina (www.abifarma.com.br). Deve-se ter em conta que, além da contribuição negativa para o balanço de pagamentos do Brasil, a dependência completa de importações de fármacos essenciais como esses é, também, fator de vulnerabilidade estratégica para o país. A proponente do presente projeto irá defender sua tese de doutorado junto ao PPG-Engenharia Química da UFSCar em fevereiro de 2004. Seu trabalho, apoiado pela FAPESP (proc. 99/12191-6), enfocou a síntese enzimática de ampicilina em reator integrado, tendo resultado em registro de patente, INPI 0205242-31 (co-propriedade UFSCar/FAPESP), com financiamento FAPESP/Nuplitec (proc. 02/02694-5); os inventores são proponentes e seus orientadores, Profs. Roberto C. Giordano e Raquel L. Camargo Giordano. Neste contexto, a empresa Prodotti, Laboratório Farmacêutico, Ltda. manifestou interesse no licenciamento da patente e, além disso, em estabelecer um programa de cooperação técnico-científica com a UFSCar, para viabilizar a implantação da síntese enzimática, inicialmente de ampicilina, em sua linha industrial de produção. A localização dessa empresa, na região urbana de São Paulo, torna particularmente interessante a alternativa da rota enzimática, que elimina vários solventes. Este projeto solicita recursos para dar continuidade ao desenvolvimento desse processo. Pretende-se implantá-lo em escala piloto e, em seguida, escaloná-lo para produção industrial. Enfocar-se-á a síntese do precursor da cadeia lateral (éster de D-fenilglicina), a síntese do antibiótico e sua purificação, no prazo de quatro semestres (fase II do PIPE, diretamente). Em paralelo, solicita-se à FAPESP bolsa para a proponente durante esse período. (AU)