Busca avançada
Ano de início
Entree

Interações proteína-proteína e proteína-membrana: estudos por simulação molecular

Processo: 05/01151-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2006 - 31 de janeiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Leo Degreve
Beneficiário:Leo Degreve
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Termodinâmica  Simulação de dinâmica molecular  Proteínas  Peptídeos  Membrana celular  Liberação de vírus  HIV-1 

Resumo

As proteínas, que são as macromoléculas mais abundantes nas células vivas, possuem uma grande diversidade de funções biológicas, podendo ser classificadas como enzimas, proteínas transportadoras, proteínas nutrientes e de armazenamento, proteínas contráteis, proteínas estruturais, proteínas de defesa, proteínas reguladoras e com outras funções mais específicas que podem ser encontradas em determinadas células mais especializadas. Para um bom entendimento das funções biológicas das proteínas é necessário conhecer sua estrutura tridimensional e suas interações com outras proteínas e com membranas celulares. As membranas biológicas, essenciais para a vida, formam as barreiras semi-permeáveis e especializadas das células e de organelas celulares em que seus principais constituintes estruturais (lipídeos e proteínas de membrana) facilitam processos básicos de respiração, fotossíntese, transporte de proteínas e outros solutos, transdução de sinal e mobilidade. As membranas celulares possuem uma estrutura geral comum constituída, principalmente, por uma bicamada lipídica estruturalmente mantida por várias interações não covalentes que podem levar, ou não, à formação de ligações de hidrogênio intra e/ou intermoleculares juntamente com as interações com o meio aquoso. A constituição das bicamadas lipídicas de seres uni e multicelulares resulta em diferentes cargas líquidas nas faces externas nas bicamadas lipídicas de bactérias e de células de organismos multicelulares é a chave principal da seletividade dos peptídeos antimicrobianos uma vez que as cargas na face externa das membranas celulares são bastante diferentes ao considerar organismos unicelulares e multicelulares. As interações específicas entre proteínas tem um importante papel em muitas atividades celulares tais como transdução de sinal, regulação de processos bioquímicos, resposta imunológica, e muitas outras... (AU)