Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Existe correlação entre a atividade antioxidante in vitro e celular de frutas e legumes recomendados para a dieta do brasileiro?

Processo: 09/53884-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Veridiana Vera de Rosso
Beneficiário:Veridiana Vera de Rosso
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/03454-2 - Existe correlação entre a atividade antioxidante in vitro e celular de frutas e legumes recomendados para a dieta do brasileiro?, BP.TT
12/13814-3 - Avaliação dos compostos bioativos e atividade antioxidante in vitro e celular de frutas e verduras presentes no cardápio do brasileiro, BP.TT
12/04300-6 - Composição quali e quantitativa de extratos bioativos e correlação da atividade antioxidante química e celular da mandioca (Manihot esculenta Crantz), BP.IC
11/06718-5 - Existe correlação entre a atividade antioxidante in vitro e celular de frutas e legumes recomendados para a dieta do brasileiro?, BP.TT
Assunto(s):Dieta  Brasileiros  Frutas  Legumes  Quimioprevenção  Antioxidantes  Compostos bioativos 

Resumo

A tendência mundial em consumir alimentos funcionais e que possuam compostos bioativos tem crescido muito nos últimos anos, devido à reconhecida associação entre a ingestão de frutas e vegetais e a diminuição do risco de desenvolvimento de algumas doenças crônico-degenerativas. O valor da atividade antioxidante de alimentos de origem vegetal tem se mostrado um indicativo importante de seu valor funcional, no entanto os métodos químicos in vitro empregados para sua determinação não reproduzem as condições fisiológicas celulares, não consideram a biodisponibilidade e o metabolismo dos compostos bioativos, e na sua maioria empregam radicais que não existem em sistemas biológicos reais. Desta forma, o emprego de métodos como o que mede a Atividade Antioxidante Celular (AAC) toma-se extremamente vantajoso, pois supre de maneira eficiente às deficiências que os métodos químicos in vitro apresentam, sendo mais simples e barato do que modelos animais e humanos. O estabelecimento de uma correlação entre as atividades antioxidante in vitro e celular é importante sob o aspecto de corroboração dos dados gerados em diversos trabalhos científicos que só empregaram métodos químicos e também para determinar valores de atividade antioxidante que consideram o efeito da absorção e metabolismo celular. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Vegetais: crus ou cozidos? 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.