Busca avançada
Ano de início
Entree

Reprodução assistida no Brasil: aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas

Processo: 09/14981-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Demografia
Pesquisador responsável:SANDRA MARA GARCIA
Beneficiário:SANDRA MARA GARCIA
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/26112-0 - Reprodução Assistida no Brasil: aspectos sócio demográficos e desafios para as políticas publicas, BP.TT
12/21034-8 - Reprodução Assistida no Brasil: Aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas., BP.TT
12/20964-1 - Reprodução Assistida no Brasil: Aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas publicas, BP.TT
+ mais bolsas vinculadas 12/20473-8 - Reprodução Assistida no Brasil: Aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas., BP.TT
12/13947-3 - Reprodução assistida no Brasil: aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas, BP.TT
11/19115-7 - Reprodução Assistida no Brasil: Aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas., BP.TT
10/20033-2 - Reprodução Assistida no Brasil: Aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas., BP.TT
10/14827-6 - Reprodução assistida no Brasil: aspectos sócio-demográficos e desafios para as políticas públicas, BP.JP - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Saúde reprodutiva  Fertilização in vitro  Acesso aos serviços de saúde  Técnicas reprodutivas  Legislação (direito)  Brasil 

Resumo

A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher - PNDS 2006 (Berquó, E; Garcia, S; Lago, T, 2008) revelou que 37% das mulheres em idade fértil declararam não poder ter filhos ou mais filhos, seja porque foram esterilizadas ou porque são inférteis. Este percentual cresce para 57% no grupo de mulheres de 35 a 49 anos. Por outro lado, das férteis nessa faixa etária, 7% declararam querer ter filhos. Se levarmos em conta os níveis de arrependimento associados às prevalências de esterilização femininas e também o eventual adiamento do desejo da maternidade, teremos um elevado percentual de mulheres que poderão recorrer aos serviços de reprodução assistida para engravidar. A demanda por serviços baseados nas Tecnologias de Reprodução Assistida (TRA) tem crescido substancialmente nos países europeus e nos Estados Unidos (Spar 2006). Mas também no Brasil, há demanda crescente por serviços de reprodução assistida que, em sua vasta maioria, são oferecidos por clínicas privadas a um custo significativamente elevado. Além da regulação ainda tímida e incipiente, a elaboração de políticas de saúde e de C&T nessa área se ressentem da falta de conhecimento sobre como esse mercado de serviços se caracteriza. Essa proposta visa investigar a situação da demanda e oferta dos serviços de reprodução assistida no Brasil, bem como seus aspectos socio-demográficos, legais e éticos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GARCIA, SANDRA; BELLAMY, MARIAN. Assisted Conception Services and Regulation within the Brazilian Context. JORNAL BRASILEIRO DE REPRODUCAO ASSISTIDA, v. 19, n. 4, p. 198-203, OCT-DEC 2015. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.