Busca avançada
Ano de início
Entree

Emprego de complexos pirazólicos de paládio (II) em sistemas hóspede-hospedeiro, biológicos e catalíticos

Processo: 05/04285-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2006 - 31 de março de 2008
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Antonio Eduardo Mauro
Beneficiário:Antonio Eduardo Mauro
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Catálise  Pirazóis 

Resumo

A química de coordenação dos pirazóis constitui-se uma área de pesquisa cada vez mais atraente não somente pela grande variedade estrutural de seus complexos mas também pelo seu caráter altamente interdisciplinar. Particularmente, os complexos pirazólicos de paládio(II) destacam-se pelo crescente interesse na sua química supramolecular bem como pelas suas propriedades biológicas e catalíticas. Espécies supramoleculares que apresentam grandes cavidades capazes de alojar pequenas moléculas são atrativas no desenvolvimento de novos sensores moleculares. Dentro desse contexto, propõe-se neste trabalho a síntese, caracterização e investigação das propriedades hóspede-hospedeiro de espécies, contendo cavidades, de fórmula geral [Pd(u-Pz*)2(L)]3 e [Pd3(u-N3)(u-Pz*)5]n (L = bis-2,2 -imidazol, bis-2,2-pirimidina; Pz* = pirazolatos). Outro objetivo da pesquisa proposta envolve a determinação da viabilidade celular de culturas de macrófagos peritoneais murinos mediante obtenção do índice de citotoxicidade (IC50) de complexos de fórmula geral cis-[PdX2(tdmPz)] (tdmPz = 3,5-dimetil-1-tiocarbamoilpirazol) e [PdX(HPz*)L]X (HPz* = pirazóis; L = fosfinas bidentadas; X = haletos e pseudo-haletos), bem como sua influência na liberação de mediadores químicos, tais como H2O2, NO e TNF-alfa (fator de necrose tumoral). Pretende-se investigar também a citotoxicidade destes complexos de Pd(II) frente a culturas de células de adenocarcinoma mamário de linhagem LMM3 in vitro. A cisplatina será empregada como padrão de avaliação em todos os testes. Esta investigação será realizada no Departamento de Análises Clínicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (UNESP), sob supervisão da Profa. Dra. Iracilda Zeppone Carlos... (AU)