Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da citologia em meio líquido versus convencional no Sistema Único de Saúde

Processo: 09/53133-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas para o SUS
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Celso Di Loreto
Beneficiário:Celso Di Loreto
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Esfregaço vaginal  Teste de papanicolaou  Citologia  Sistema Único de Saúde 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_222_169_169.pdf

Resumo

O câncer do colo uterino permanece como um importante problema de saúde pública no Brasil apesar do aumento dos investimentos no programa de prevenção nos últimos anos. O método de Papanicolaou convencional amplamente utilizado na rede pública do país apresenta, de acordo com dados da literatura mundial, alta especificidade (98%), porém baixa sensibilidade, ao redor de 51%. Um dos principais problemas ocorre na colheita da amostra e na execução do esfregaço na lâmina, levando a artefatos variados que interferem na avaliação citológica e a diagnósticos inconclusivos. O monitoramento externo de qualidade em colpocitologia de laboratórios de patologia conveniados ao SUS no estado de São Paulo, realizado pelo Instituto Adolfo Lutz em parceria com a Fundação Oncocentro desde 2000, tem apontado índices alarmantes de exames insatisfatórios ou inconclusivos no decorrer desses anos. O problema das amostras insatisfatórias tem sido relatado em diversos estudos. Na tentativa de contornar esse problema foi introduzida a citologia em meio líquido. Por esse método as células removidas do colo uterino são imediatamente colocadas em líquido fixador e enviadas ao laboratório que irá realizar o procedimento técnico. De acordo com a maior parte dos autores, esse método diminui a percentagem de amostras insatisfatórias e ainda permite a utilização da amostra residual em testes moleculares e na confecção de novas lâminas. Estudos sobre a sua maior sensibilidade em relação ao método convencional são controversos. Algumas dificuldades têm retardado sua implantação em laboratórios que atendem a rede pública no país, principalmente pelo maior custo e a necessidade de investimentos adicionais de infraestrutura laboratorial. Entretanto, poucos estudos foram feitos no país avaliando vantagens e dificuldades do novo método na rede pública laboratorial, sempre com casuística pequena. Esse estudo pretende comparar os métodos de colheita convencional e de meio líquido quanto à porcentagem de amostras insatisfatórias e de diagnósticos inconclusivos em 10,000 amostras de mulheres da região do Vale do Ribeira do estado de São Paulo. Além disso, pretende avaliar a eventual redução de horas de trabalho de profissionais da saúde envolvidos na confecção e leitura dos exames, e a possibilidade de utilização da amostra residual na confecção de lâminas adicionais para treinamento e educação continuada de profissionais da área de citopatologia. (AU)