Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de meio reativo inovador para ser utilizado em tecnologias de tratamentos de poluentes orgânicos

Processo: 05/55831-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2006 - 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Marilda Mendonça Guazzelli Ramos Vianna
Beneficiário:Marilda Mendonça Guazzelli Ramos Vianna
Empresa:BF Clay Especialidades Ltda
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):06/52305-6 - Desenvolvimento de meio reativo inovador para ser utilizado em tecnologias de tratamento de poluentes orgânicos, BP.PIPE
Assunto(s):Tecnologia química orgânica  Remediação  Poluentes orgânicos  Argilas organofílicas 

Resumo

Em maio de 2005, a CETESB (2005a) publicou uma relação com 1.504 áreas contaminadas, das quais 962 têm solventes aromáticos e 533 têm hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAHs). Benzeno, tolueno, etilbenzeno e xilenos (BTEX) são solventes aromáticos presentes na gasolina que mais contaminam o solo e o aqüífero. Os PAHs são contaminantes tóxicos e perigosos que estão no óleo diesel. Nos Estados Unidos temos 418 mil tanques de combustíveis enterrados vazando, sendo que 268 mil estão sendo remediados e 150 mil necessitam de remediação (EPA, 2005). Duas tecnologias inovadoras, que estão sendo aplicadas na remediação de áreas contaminadas "in situ" e que têm recebido atenção mundial, são: os processos oxidativos avançados (POAs) e as barreiras reativas permeáveis (BRPs). Os POAs são considerados tecnologias limpas porque, na oxidação química do poluente orgânico não há formação de subprodutos sólidos (lodo), também não há a transferência de fase dos poluentes e os produtos finais da reação são o CO2 e a H2O. A BRP é projetada para ser uma barreira para os contaminantes e permeável à água tratada. As vantagens da BRP são: construção simples; não consome energia; conserva a água; baixo custo operacional; manutenção mínima; permite o uso da água que está sendo tratada e pode ser combinada com outro tratamento. O presente projeto tem por objetivo a utilização de bentonitas policatiônicas nacionais para a produção de um novo material que será utilizado como meio reativo em BRPs. A inovação desse meio reativo consiste na obtenção de um material com duas funções: a função sorvente de poluentes orgânicos, devido à presença de cátions queternários de amônio, e a função catalítica em POA, devido a intercalação de íons de ferro. Para verificar a eficiência dos materiais obtidos serão testados em laboratório: a) o seu uso como catalisador heterogêneo na degradação de tolueno e metil-naftaleno em POAs; b) a capacidade de sorção de tolueno e metil-naftaleno pelos materiais sintetizados. O tolueno e o metil-naftaleno servirão como sorvente referência da gasolina e do óleo diesel, respectivamente. (AU)