Busca avançada
Ano de início
Entree

Crescimento de bovinos de corte no modelo biológico superprecoce

Processo: 99/05195-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de fevereiro de 2000 - 31 de janeiro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Antonio Carlos Silveira
Beneficiário:Antonio Carlos Silveira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Henrique Nunes de Oliveira
Bolsa(s) vinculada(s):04/00902-5 - Crescimento do tecido adiposo e quantificação do hormônio leptina em bovinos mestiços suplementados com somatropina bovina recombinante (rBST) no modelo biológico superprecoce, BP.TT
03/12349-6 - Caracterização dos tipos de fibras musculares e isoformas da cadeia pesada de miosina (MyHC) e sua relação com a qualidade de carne de bovinos Nelore (Bos indicus) superprecoce, BP.DR
03/12712-3 - Atividade da enzima calpastatina durante o crescimento do tecido muscular esquelético e na proteólise da carne no postmortem de bovinos de corte no modelo biológico superprecoce, BP.DR
+ mais bolsas vinculadas 03/09468-3 - Crescimento de bovinos de corte no modelo biológico superprecoce, BP.TT
03/09469-0 - Crescimento de bovinos de corte no modelo biológico superprecoce, BP.TT
02/13788-0 - Influência dos genes "Bos indicus" nas características de qualidade decarne de bovinos submetidos ao modelo biológico super precoce, BP.IC
02/00374-3 - Efeito da suplementação de somatotropina bovina recombinante (rbST) e diferentes níveis de proteína degradável no rúmen no desempenho, expressão de proteínas musculares, níveis plasmáticos de hormônios de crescimento, insulina, IGF-1 e hormônios tireoidianos e na caracterização do desenvolvimento e modulação das fibras, BP.TT
01/01071-1 - Crescimento do tecido adiposo e quantificação do hormônio leptina em bovinos mestiços suplementados com somatotropina bovina recombinante (rBST) no modelo biológico superprecoce, BP.PD
00/03509-1 - Estudo da relação entre as variações na sequência de DNA e no padrão de expressão do gene da obesidade com a deposição de gordura na carcaça de bovinos de diferentes tamanhos à maturidade, BP.DR
00/02750-7 - Estudo do crescimento e das características de carcaça e de carnes de bovinos de diferentes grupos genéticos e tamanhos a maturidade no modelo de produção superprecoce, BP.MS
00/02749-9 - Níveis plasmáticos de IGF-I e polimorfismo do gene de hormônio do crescimento (GH) como possíveis indicadores do potencial produtivo em bovinos de corte, BP.MS
00/02751-3 - Efeito da suplementação de somatotropina bovina recombinante (rbST) e diferentes níveis de proteína degradável no rúmen no desempenho, níveis plasmáticos hormonais e na caracterização e expressão das fibras e proteínas musculares de bovinos superprecoces, BP.DR - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Controle hormonal  Crescimento animal  Novilhos  Processamento de alimentos  Bovinos de corte  Expressão gênica 

Resumo

Novilhos super precoces são os animais que imediatamente após o desmame são terminados em regime de confinamento e abatidos até os treze meses de idade com peso vivo mínimo de 450 kg ou acima de 16 arrobas. Estes animais devem apresentar, ainda, cobertura de gordura subcutânea na carcaça superior a 3,0 mm, que aliada a idade jovem dos mesmos, garantem as características de qualidade dos produtos cárneos e seus sub-produtos. Este sistema de produção que explora a máxima eficiência biológica dos animais, que pode ser definida primariamente como sendo o ganho de peso vivo em relação ao consumo de energia, se constitui em um excelente modelo biológico decrescimento intensivo para bovinos. O modelo super precoce permite avaliar a taxa decrescimento e as transformações e desenvolvimento dos tecidos, notadamente o muscular esquelético, na fase de crescimento rápido, ou seja de auto-aceleração. O crescimento é um aumento de massa corporal que ocorre pelos mecanismos e hiperplasia (multiplicação celular) e hipertrofia (aumento de volume celular) dos diversos tecidos. Na fase embrionária o crescimento é caracterizado por uma intensa hiperplasia em todos os tecidos, enquanto que do nascimento até a puberdade (crescimento auto-acelerado) predomina o desenvolvimento hipertrófico do tecido muscular esquelático. Procura-se com este projeto avaliar os efeitos da manipulação de fatores genéticos e das modificações dietárias (alimentos, manejos alimentares e suplementos) nas transformações e desenvolvimento dos tecidos durante a fase acelerada de crescimento, objetivando o aumento da eficiência biológica dos animais no modelo de estudo proposto, o superprecoce. Desta forma o objetivo deste projeto é investigar, por meio deste modelo biológico de produção intensiva de carne, os seguintes tópicos: a) estudo do crescimento do tecido muscular esquelético do nascimento a desmama; b) estudo do crescimento do tecido muscular esquelético da desmama a terminação; c) estudo dos alimentos, suplementos e do manejo alimentar para a exploração máxima do crescimento do tecido muscular esquelético em todas as suas fases; d) estudo e caracterização de genes envolvidos no crescimento e na composição de carcaça de bovinos superprecoces; e) desenvolvimento de metodologias aplicáveis aos estudos de características de carcaça e qualidade de carne. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Maturidade precoce 
Maturidade precoce 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MÁRIO DE BENI ARRIGONI; ARMANDO ALVES JÚNIOR; PAULO MARCELO AMORIM DIAS; CYNTIA LUDOVICO MARTINS; RAFAEL DA COSTA CERVIERI; ANTONIO CARLOS SILVEIRA; HENRIQUE NUNES DE OLIVEIRA; LUIS ARTUR LOYOLA CHARDULO. Desempenho, fibras musculares e carne de bovinos jovens de três grupos genéticos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 39, n. 10, p. -, Out. 2004.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.