Busca avançada
Ano de início
Entree

Estresse, ansiedade e depressão materna da gestação ao primeiro ano de vida: associação com o desenvolvimento infantil

Processo: 13/03971-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Gimol Benzaquen Perosa
Beneficiário:Gimol Benzaquen Perosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Flávia Helena Pereira Padovani ; Rafaela de Almeida Schiavo
Bolsa(s) vinculada(s):13/18919-0 - Estresse, ansiedade e depressão materna da gestação ao primeiro ano de vida: associação com o desenvolvimento infantil, BP.TT
13/17854-2 - Estresse, ansiedade e depressão materna da gestação ao primeiro ano de vida: associação com o desenvolvimento infantil, BP.TT
Assunto(s):Psicologia da criança  Desenvolvimento infantil  Estresse psicológico  Transtornos de ansiedade  Depressão  Inquéritos e questionários  Mães 

Resumo

Nas últimas décadas, o estado psicológico da mãe, durante a gestação e puerpério, tem sido foco de preocupação dos pesquisadores e dos serviços de saúde pelo efeito que pode provocar no desenvolvimento cognitivo e comportamental da criança. Considerando a relevância e a escassa literatura quanto aos riscos que a saúde mental materna, e o momento em que a criança foi exposta, podem acarretar para o desenvolvimento, o presente estudo, com delineamento longitudinal, pretende avaliar o stress, ansiedade e depressão materna, da gestação até o primeiro ano de pós-parto, sua relação com práticas de cuidado e com o desenvolvimento de crianças em dois momento: aos 6 meses e 1 ano de vida. As mães responderão a um inventario de depressão (BDI), de ansiedade (IDATE) e de stress (ISSL) no terceiro trimestre gestacional e serão reavaliadas aos 6 meses e 14 meses após o parto, quando o desenvolvimento da criança será avaliado pelo Denver II. Aos 14 meses a mãe responderá, também, a um questionário sobre práticas parentais (E-CPPC). Os dados receberão tratamento estatístico, comparando-se a saúde mental da mãe nos três momentos e o desenvolvimento da criança nos dois momentos. Se procurará por associações entre variáveis sócio demográficas, estado emocional materno, cronicidade, práticas de cuidado e desenvolvimento infantil e, a partir de regressão logística, possíveis preditores de risco para o desenvolvimento. (AU)