Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivo in vitro de células do corpo lúteo bovino para o estudo dos eventos ligados à luteólise

Processo: 13/07439-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:João Carlos Pinheiro Ferreira
Beneficiário:João Carlos Pinheiro Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Fernanda da Cruz Landim ; Ian Martin
Assunto(s):Bovinos  Biotecnologia da reprodução  Corpo lúteo  Luteólise  Cultura de células  Expressão gênica  Expressão de proteínas 

Resumo

Este trabalho tem como objetivo o cultivo in vitro de células luteais bovinas como modelo experimental para o estudo dos processos fisiológicos do corpo lúteo (CL), como a luteólise. Para tanto serão realizado três experimentos. No Experimento 1 serão utilizados CLs advindos de abatedouros, em laboratório serão devidamente processados e as células luteais esteroidogênicas cultivadas por 48 horas, a fim de se induzir a luteólise in vitro desse tipo celular. Essas células receberão os seguintes tratamentos: Grupo Controle: 1,0mL de meio de cultivo base, que após as 48 horas de cultivo uma parte desse meio será trocado por 1,0 mL de meio de cultivo base, consecutivamente a cada 6 horas; Grupo PGF2±: 10-6M PGF2± (Sigma® P 0424; KORZEKWA et al., 2008) diluído em 1,0 mL de meio de cultivo base, que após 48 horas de cultivo, uma parte desse meio será trocado e adicionado novamente 10-6M PGF2± diluído em 1,0 mL de meio de cultivo base em um intervalo de 6 horas até que se complete 24 horas. As células cultivadas serão avaliadas morfologicamente pela coloração com Oil Red e Hematoxilina, expressão gênica (qRT-PCR) e proteica (Imunofluorescência) para STAR, PTGS2, PGFS, HPGD, IL-8 e EDN1, e por fim será dosada a progesterona (P4) do meio de cultivo pela técnica de Radioimunoensaio (RIA). No Experimento 2 será realizado o Co-cultivo das células luteais esteroidogênicas (CLEs), células luteais endoteliais (CLEn) e células do sistema imune (CSI) a fim de se observar a indução da luteólise in vitro dos três tipos celulares. As CLEs serão novamente cultivadas por 48 horas, passado esse período as CLEn e CSI, serão adicionadas e pré-incubadas por 2 horas (Co-cultivo), dando início aos mesmos tratamentos e avaliações realizadas no Experimento 1. O Experimento 3 tem como objetivo a Indução da luteólise in vitro com o tratamento PGF2± em diferentes momentos. Para isso os poços da placa de cultivo contendo os três tipos celulares (CLEs, CLEn, CSI) receberão 5 aplicações de PGF2±; ou 5 aplicações de meio de cultivo base; ou 5 aplicações de PGF2± (1º, 3º e 5º momento) e os demais momentos (2º e 4º) receberão apenas meio de cultivo base. As técnicas para avaliação morfológica, expressão gênica e proteica e dosagem de P4 serão idênticas ao Experimento 1. Os dados obtidos serão tabulados e testes estatísticos adequados serão realizados. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DESTRO, F. C.; MARTIN, I.; LANDIM-ALVARENGA, F. D. C.; FERREIRA, J. C. P.; PATE, J. L. Effects of concanavalin A on the progesterone production by bovine steroidogenic luteal cells in vitro. REPRODUCTION IN DOMESTIC ANIMALS, v. 51, n. 5, p. 848-852, OCT 2016. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.