Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de leite e persistência da lactação em cabras Saanen: relações entre produção, estresse e células epiteliais

Processo: 13/08653-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:João Alberto Negrão
Beneficiário:João Alberto Negrão
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Manejo animal  Cabras  Lactação  Estresse fisiológico  Células epiteliais 

Resumo

O aumento da produção leiteira em início de lactação depende do número e capacidade de síntese das células epiteliais. Porém, a partir do pico de lactação o processo de apoptose das células mamárias aumenta gradualmente até o final da lactação, reduzindo progressivamente o número de células epiteliais e sua capacidade de síntese de leite. Alguns estudos sugerem que as alterações metabólicas causadas pelo estresse de manejo, podem via ação do cortisol, intensificar o processo de apoptose na glândula mamária durante a lactação. No momento, é preciso verificar se as diferenças de susceptibilidade das cabras leiteiras ao estresse podem ser relacionadas à liberação de cortisol e à presença dos receptores mineralocorticóides (MR) e glicocorticóides (GR) nas células epiteliais mamárias. Ao estudar a associação entre o cortisol e os receptores MR e GR nas células mamárias será possível entender as relações entre a susceptibilidade ao estresse e a capacidade de produção das melhores cabras do rebanho. Neste contexto, utilizando como modelo experimental cabras Saanen, esse projeto propõe estudar o efeito do estresse sobre a produção do leite ao longo da lactação (objetivo geral). Para melhor compreender os possíveis efeitos do estresse sobre a taxa de apoptose das células epiteliais e a persistência da lactação, o estresse será estudado via administração exógena de ACTH (estresse fisiológico padrão), relacionando assim o efeito do aumento de cortisol plasmático e presença dos receptores mineralocorticóides (MR) e glicocorticóides (GR) nas células epiteliais mamárias in vivo (Experimento I) e in vitro (Experimento II). Deste modo, o presente projeto propõe verificar via respostas zootécnicas e fisiológicas se o estresse acelera o processo de apoptose das células e influencia a produção de leite ao longo da lactação. (AU)