Busca avançada
Ano de início
Entree

Quimioterapia metronômica em carcinomas de glândula mamária de cadelas e validação da terapia

Processo: 13/07252-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Alexandre Lima de Andrade
Beneficiário:Alexandre Lima de Andrade
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia veterinária  Neoplasias mamárias  Quimioterapia  Administração metronômica  Inibidores da angiogênese  Fatores de crescimento do endotélio vascular  Cães  Estudos de validação 

Resumo

O tumor mamário canino (TMC) é a neoplasia que mais comumente afeta cadelas idosas não castradas. Segundo análises histopatológicas, 41 a 53% dos TMCs são malignos. A terapia para a neoplasia mamária em cadelas é um desafio e a remoção cirúrgica continua a ser a técnica de escolha. Embora a quimioterapia adjuvante seja o tratamento padrão para o tumor mamário em humanos, pouca informação existe sobre sua eficácia no TMC. A quimioterapia convencional com uso da dose máxima tolerável tem como mecanismo de ação inibir a angiogênese tumoral, porém os efeitos adversos sobre tecidos saudáveis como a medula óssea fazem com que sejam preconizados longos intervalos entre as doses o que inibe os benefícios passageiros da antiangiogênese do quimioterápico. Dessa forma, um novo conceito de quimioterapia utilizando baixas doses contínuas do quimioterápico, com menos efeitos adversos e sem intervalo entre os ciclos tem sido empregado e é denominada quimioterapia metronômica. Tem sido sugerido que a quantificação da angiogênese pode ajudar a predizer como a neoplasia irá progredir ou se aquele tumor irá responder ao tratamento. A neoplasia mamária expressa diversos fatores angiogênicos, incluindo o fator de crescimento endotelial vascular (VEGF). A expressão tecidual de VEGF em TMC maligno é aumentada e está relacionada com menor resposta à terapia. Diversos pesquisadores têm proposto a quantificação de alguns aspectos da vasculatura tumoral como a densidade microvascular (DMV) para avaliação da terapia antiangiogênica. A DMV revela o grau da atividade angiogênica da neoplasia, o que pode ser usado como um marcador da eficácia dos agentes antiangiogênicos, e também elege os pacientes que são candidatos à terapia. Este projeto de pesquisa tem como objetivos realizar tratamento em cadelas com TMC maligno utilizando a quimioterapia metronômica e validar a eficácia desta terapia realizando imunomarcações teciduais para VEGF e DMV, além da avaliação e comparação histopatológica entre as neoplasias tratadas e não tratadas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MENDES FERRARI, ANALY RAMOS; FERRARI, HEITOR FLAVIO; CARREIRA, VINICIUS SOARES; FRIGERIO, EDENILSON DONA; RUI LUVIZOTTO, MARIA CECILIA; DE ANDRADE, ALEXANDRE LIMA. Microvessel density assessment in canine mammary carcinomas as a predictive factor for metronomic chemotherapy. SEMINA-CIENCIAS AGRARIAS, v. 40, n. 5, p. 1849-1855, SEP-OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.