Busca avançada
Ano de início
Entree

Segurança do paciente

Processo: 12/51765-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas para o SUS
Vigência: 01 de julho de 2013 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Ana Maria Malik
Beneficiário:Ana Maria Malik
Instituição-sede: Escola de Administração de Empresas (EAESP). Fundação Getúlio Vargas (FGV). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Administração dos cuidados ao paciente  Atenção à saúde  Pacientes  Saúde pública 

Resumo

A segurança do paciente constitui hoje tema de grande relevância para a assistência à saúde, sobretudo para os hospitais, dada a maior complexidade do cuidado prestado pelos mesmos. Os eventos adversos relacionados à assistência são responsáveis por um número elevado de mortes, além dos casos em que as conseqüências geram dias suplementares de internação ou ainda tratamentos inicialmente não previstos. O presente estudo visa realizar levantamento da situação de segurança do paciente nos hospitais do Estado de São Paulo, mais precisamente os hospitais gerais e especializados. Isto será feito por meio do envio de questionário abordando vários aspectos relacionados à qualidade e à segurança do paciente, tais como perfil do hospital, comissões relacionadas à qualidade da assistência e segurança do paciente, abrangência e detalhamento da iniciativa da qualidade, estrutura da qualidade, existência de estratégias que busquem aumentar a segurança do paciente, treinamento e desenvolvimento, uso de modelos de avaliação externa da qualidade tal como acreditações, disponibilidade e uso de indicadores hospitalares, e percepção dos respondentes sobre a qualidade e a segurança no hospital. Este questionário permitirá identificar a existência de estruturas organizacionais voltadas para a gestão da qualidade e da segurança do paciente e ainda avaliar a disseminação de práticas voltadas para a segurança do paciente nos hospitais da amostra. Hospitais de diferentes tamanhos e com ou sem programas da qualidade comporão a amostra. Será possível assim identificar o comportamento de alguns tipos de organizações e estudar sua relação com o envolvimento com qualidade, facilitando assim a proposição de eventuais estratégias para a melhoria da segurança do paciente nos hospitais paulistas. (AU)