Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação oral com N-acetilcisteína na capacidade de caminhada, capacidade vasodilatadora e marcadores de estresse oxidativo em pacientes com doença arterial periférica

Processo: 13/05883-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2013 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Nelson Wolosker
Beneficiário:Nelson Wolosker
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruno Tesini Roseguini ; Cláudia Lúcia de Moraes Forjaz ; Edilamar Menezes de Oliveira ; Sang Won Han
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovasculares  Doença arterial periférica  Claudicação intermitente  Tolerância ao exercício  Estresse oxidativo  Acetilcisteína  Vasodilatação 

Resumo

A doença arterial periférica é uma manifestação comum da aterosclerose que está fortemente associada ao declínio acelerado na capacidade funcional, diminuição nos níveis de atividade física diária e pobre qualidade de vida. Um mecanismo central na fisiopatologia desta doença é o aumento crônico no estresse oxidativo, que contribui, entre outros, para a disfunção na capacidade vasodilatadora e, consequentemente, para a intolerância ao exercício característica desta condição. O objetivo principal desta proposta é testar a hipótese de que a suplementação oral com o antioxidante N-acetilcisteína (NAC) diminui o estresse oxidativo e a inflamação sistêmica, levando à melhora da tolerância ao esforço em pacientes com DAP. Especificamente, hipotetizamos que a administração de NAC favorecerá a biodispobilidade de vasodilatadores como o óxido nítrico e diminuirá os níveis de substâncias inflamatórias e agentes vasoconstritores, como a endotelina-1. Em consequência, esperamos que a suplementação com este composto melhore a capacidade vasodilatadora, resultando em aumento na oxigenação muscular durante o exercício e aumentando assim o tempo de tolerância ao esforço nestes pacientes. Para testar estas hipóteses será realizado um estudo aleatorizado, cruzado e duplo-cego no qual doze pacientes com DAP (índice tornozelo-braquial<0.9) serão submetidos, após a administração oral de NAC ou placebo, a: 1) um teste de avaliação da função vasodilatadora do antebraço e da perna e 2) um teste de esforço progressivo em esteira. Amostras sanguíneas serão coletadas antes e após a realização do teste de exercício para determinação dos níveis plasmáticos de marcadores de estresse oxidativo (substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico, 8-isoprostano, glutationa), agentes inflamatórios (TNF-a e IL-2), substâncias vasoativas (nitrito/nitrato e endotelina-1) e expressão gênica de microRNAs sabidamente relacionados ao processo de isquemia. Os dados serão comparados pelo teste T-Student para amostras repetidas ou pelo teste de Wilcoxon e pela ANOVA de 2 fatores para a amostras repetidas, utilizando-se P<0,05. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, JR., NATAN D.; ROSEGUINI, BRUNO T.; CHEHUEN, MARCEL; FERNANDES, TIAGO; MOTA, GLORIA F.; MARTIN, PRISCILA K. M.; HAN, SANG W.; FORJAZ, CLAUDIA L. M.; WOLOSKER, NELSON; DE OLIVEIRA, EDILAMAR M. Effects of oral N-acetylcysteine on walking capacity, leg reactive hyperemia, and inflammatory and angiogenic mediators in patients with intermittent claudication. AMERICAN JOURNAL OF PHYSIOLOGY-HEART AND CIRCULATORY PHYSIOLOGY, v. 309, n. 5, p. H897-H905, SEP 1 2015. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.