Busca avançada
Ano de início
Entree

Dias fora do trabalho devido a problemas comuns de saúde física e mental: resultados do estudo de saúde mental São Paulo, Brasil

Processo: 13/10910-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Wang Yuan Pang
Beneficiário:Wang Yuan Pang
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde pública  Saúde mental  Transtornos mentais  Doença crônica  Prevalência  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

Investigar a importância relativa de transtornos físicos e mentais comuns afetando dias fora de trabalho (número de dias totalmente incapaz de trabalhar ou executar atividades normais por causa de problemas de saúde), numa amostra populacional de adultos da área metropolitana de São Paulo, Brasil. O Estudo de saúde mental São Paulo Megacity aplicou entrevistas face-a-face em 2942 adultos domiciliados. A presença de oito transtornos físicos comuns e três classes de transtornos mentais (transtorno de humor, ansiedade e uso de substâncias) foi avaliado no ano anterior juntamente com o número de dias no mês anterior em que cada respondente esteve totalmente incapaz de trabalhar o executar atividades diárias normais devido a problemas de saúde. Análise de regressão múltipla examinou as associações entre os transtornos e as suas comorbidades com os dias fora de trabalho, controlados para variáveis sociodemográficas. Tanto as associações de nível individual como populacional foram estimadas. 13,1% dos respondentes relataram um ou mais dias fora de trabalho no mês anterior. A mediana anual foi de 41,4 dias fora de trabalho. Os transtornos considerados aqui foram responsáveis por 71,7% de todos os dias fora de trabalho, com os efeitos individuais anuais mais elevados para transtornos digestivos (22,6), humor (19,9), uso de substâncias (15,0), dor crônica (16,5) e ansiedade (14,0). Os transtornos associados com as mais altas proporções de risco atribuível populacional de dias fora de trabalho foram dor crônica (35,2%), humor (16,5%) e ansiedade (15,0%). Como transtornos dolorosos, ansiedade e de humor apresentaram os maiores efeitos tanto a nível individual e social, intervenções direcionadas para reduzir os prejuízos associados com esses transtornos apresentam o maior potencial para reduzir a carga social de doenças crônicas na área metropolitana de São Paulo. (AU)