Busca avançada
Ano de início
Entree

Melhoramento genético de pêssegos (Prunus persica (L.) Batsch) e nectarinas (P. persica var. nucipersica Dippel) de baixa necessidade de frio hibernal

Processo: 13/09450-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Graciela da Rocha Sobierajski
Beneficiário:Graciela da Rocha Sobierajski
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Mara Fernandes Moura
Bolsa(s) vinculada(s):13/16540-4 - Melhoramento genético de pêssegos (Prunus persica (l.) Batsch) e nectarinas (p. persica var. nucipersica Dippel) de baixa necessidade de frio hibernal, BP.TT
Assunto(s):Melhoramento genético vegetal  Fruticultura  Nectarina  Pêssego 

Resumo

O pêssego (Prunus persica) e a nectarina (P. persica var. nuscipersica) são espécies originárias da China que apresentam cultivo desde a antiguidade. Os primeiros plantios no Brasil iniciaram-se juntamente com a chegada dos colonizadores europeus. Como pomares de interesse econômico, a cultura do pêssego estabeleceu-se no Estado de São Paulo na década de 30, primeiramente nas regiões serranas do estado. Apesar de suas características de fruteiras de clima temperado, vem sendo cultivado em áreas de clima subtropical graças ao desenvolvimento de variedades com menor exigência de horas de frio para a quebra de dormência necessária para o florescimento. As primeiras seleções foram obtidas pelos produtores, e apesar de terem sido realizadas de forma empírica, impulsionaram o desenvolvimento do setor nas primeiras décadas de cultivo. A partir da década de 30 o Instituto Agronômico (IAC) iniciou uma série de introduções de variedades desenvolvidas principalmente na Flórida (EUA) e que foram a base do programa de melhoramento genético desde então. Até os dias atuais foram selecionadas 32 variedades de pêssego e quatro de nectarinas pelo Instituto Agronômico, além dos materiais introduzidos e adaptados às nossas condições climáticas. Devido a importância econômica para o agronegócio paulista, o programa de melhoramento genético de pêssegos e nectarinas do IAC mantém os trabalhos de caracterização e desenvolvimento de novas variedades para o Estado de São Paulo. Assim, este projeto visa a seleção de novas variedades de pêssegos e nectarinas que atendam às necessidades dos produtores paulistas e dos consumidores. (AU)