Busca avançada
Ano de início
Entree

A vegetação da várzea do Rio Mogi Guaçu no Parque Estadual de Porto Ferreira, SP, Brasil: análise da estrutura e composição florística da comunidade arbórea em função da heterogeneidade ambiental

Processo: 13/11960-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fitogeografia
Pesquisador responsável:Marco Antonio de Assis
Beneficiário:Marco Antonio de Assis
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Florística  Árvores florestais  Variedades vegetais  Várzeas  Inundações  Drenagem do solo  Matas ciliares 

Resumo

As várzeas são áreas que margeiam o traçado de rios de médio e grande porte, sujeitas a inundações nos períodos de cheias. Em função do regime das cheias e consequentes inundações, apresentam características florísticas e estruturais próprias. No presente estudo, pretende-se levantar e caracterizar a comunidade arbórea de uma floresta de várzea situada à beira do rio Mogi Guaçu, no Parque Estadual de Porto Ferreira, Estado de São Paulo. Objetiva-se avaliar de que maneira os pulsos de inundação influenciam na composição e organização da comunidade arbórea de várzea. Para tanto, serão levantados e avaliados os dados da vegetação e das variáveis ambientais relacionadas à topografia, à inundação, drenagem e composição físico-química do solo. Dentre as expectativas, esperamos encontrar que: (i) trechos inundados por intervalos de tempo diferentes tendem a apresentar diferenças na composição e na estrutura; e, (ii) trechos de vegetação aberta com predomínio do "estrato" herbáceo se dão em função da maior permanência d'água da inundação. Na área serão alocadas 30 parcelas de 20 x 20 m, distribuídas ao longo de transectos, de acordo com as condições ambientais. Nas parcelas serão mensurados, medidos e identificados os indivíduos com PAP e 10 cm e caracterizados o regime de inundação, drenagem, a topografia, a textura e as propriedades químicas do solo. Para a análise dos descritores fitossociológicos serão utilizados os valores absolutos e relativos de dominância, densidade e frequência e o índice de valor de importância (IVI), os quais serão obtidos pelo programa FITOPAC II. Os índices de diversidade de Shannon (H') e a diversidade de Pielou (J') também serão estimados e comparados para a comunidade como um todo e para grupos distintos de parcelas. A similaridade florística, assim como os parâmetros de densidade, área basal, riqueza e abundância de espécies entre os distintos grupos de parcelas serão avaliadas pelo método de ordenação TWINSPAN. As variações florísticas dentro da área de amostragem e suas correlações com dados ambientais serão avaliadas por meio de análises de ordenação (CCA). A análise desses dados será realizada com uso do programa PC-ORD versão 4.38. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.