Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação trófica ascendente do recrutamento em invertebrados marinhos com desenvolvimento indireto: cracas como estudo de caso

Resumo

Contribuições recentes têm mostrado que a retenção larval em populações de invertebrados marinhos costeiros é muito mais frequente do que o sugerido por modelos físicos de transporte. Sendo assim, processos que ocorrem à escala local, até às unidades de km, podem ser determinantes na estruturação e persistência dessas populações. Cracas são organismos dominantes na região do entre-marés de costões rochosos e, por serem filtradores, representam um elo importante de transferência energética entre o ambiente pelágico e o bentônico. Na região tropical, a disponibilidade de alimento na coluna de água pode limitar o desempenho de larvas e adultos, estes últimos ainda sujeitos a um estresse térmico, no limiar da tolerância, durante os meses de verão. Devido à limitação de espaço no entre-marés, as larvas precisam estocar reservas energéticas para que em seu estágio final, lecitotrófico, possam sondar uma área suficiente do substrato e selecionar um local adequado para o seu desenvolvimento até à fase adulta. É proposto neste projeto entender como a população bentônica interage com a variação ambiental para maximizar sua aptidão, em termos da produção de recrutas que possam chegar à fase adulta. Para tal são propostos três módulos de trabalho, com foco (i) na estratégia de alocação de recursos para maximizar o sucesso reprodutivo em condições contrastantes de suprimento alimentar e estresse térmico, (ii) nos efeitos da qualidade larval na seleção de substratos e no desempenho pós-assentamento e (iii) na relação entre o estado trófico da coluna de água e qualidade larval à mesoescala, a qual, conjuntamente com estimativas de fluxo genético, poderão indicar processos de isolamento ao longo de sua distribuição natural. Espera-se propor um modelo mais refinado de regulação do recrutamento de invertebrados marinhos tropicais com base nos resultados a obter. (AU)

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LEAL, INES; BOHN, KATRIN; HAWKINS, STEPHEN J.; JENKINS, STUART R.; FLORES, V, AUGUSTO A.; TREMBLAY, REJEAN. Lipid allocation in late-stage barnacle larvae from subtropical and temperate waters. MARINE ECOLOGY-PROGRESS SERIES, v. 661, p. 147-161, MAR 4 2021. Citações Web of Science: 0.
KASTEN, PAULA; TREMBLAY, REJEAN; FLORES, AUGUSTO A. V. Mismatched seasonal patterns of larval production and quality in subtropical barnacle populations along a coastal trophic gradient. ESTUARINE COASTAL AND SHELF SCIENCE, v. 224, p. 43-50, AUG 31 2019. Citações Web of Science: 0.
KASTEN, PAULA; JENKINS, STUART R.; TREMBLAY, REJEAN; FLORES, AUGUSTO A. V. Evidence for enhanced late-stage larval quality, not survival, through maternal carry-over effects in a space monopolizing barnacle. Hydrobiologia, v. 830, n. 1, p. 277-286, MAR 2019. Citações Web of Science: 1.
BARBOSA, ANDREIA C. C.; GOMES, CRISTAL C.; PEREIRA, GILBERTO C.; BUENO, MARILIA; FLORES, AUGUSTO A. V. Local biological drivers, not remote forcing, predict settlement rate to a subtropical barnacle population. Marine Ecology Progress Series, v. 543, p. 201-208, FEB 3 2016. Citações Web of Science: 9.
FREUCHET, FLORIAN; TREMBLAY, REJEAN; FLORES, AUGUSTO A. V. Interacting environmental stressors modulate reproductive output and larval performance in a tropical intertidal barnacle. Marine Ecology Progress Series, v. 532, p. 161-175, JUL 21 2015. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.