Busca avançada
Ano de início
Entree

O retorno à filologia e a hipótese de uma história crítica da literatura

Processo: 13/15781-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Teoria Literária
Pesquisador responsável:Eduardo Sterzi de Carvalho Júnior
Beneficiário:Eduardo Sterzi de Carvalho Júnior
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Filologia  História da literatura  Literatura brasileira  Dialética 

Resumo

Com esta pesquisa, busco dar sequência ao trabalho desenvolvido em dois pós-doutorados realizados junto à USP e à Universidade "La Sapienza" de Roma, ambos com bolsas da FAPESP. O tema geral comum a todos esses momentos é a continuidade intermitente entre a literatura moderna e a literatura dita «medieval». A pesquisa deverá se organizar em dois movimentos paralelos: um mais especificamente teórico, voltado para autores que tiveram no estudo de tal continuidade um passo decisivo de suas obras, e outro prático (crítico-historiográfico). No centro do que chamei de movimento teórico, estará uma leitura cruzada das propostas crítico-filológicas de Aby Warburg, Ernst Robert Curtius, Walter Benjamin e Gianfranco Contini, sobretudo à luz da retomada de tais tradições por autores mais recentes como Giorgio Agamben e Georges Didi-Huberman. Daí espero extrair uma compreensão renovada da questão da imagem literária, a partir do discernimento das intersecções possíveis entre três conceitos fundamentais: Pathosformel (fórmula-de-pathos), tópos e imagem dialética. Por sua vez, no que denominei de movimento prático ou crítico-historiográfico, planejo continuar a estudar a tópica da terra devastada, examinando agora também seus vínculos possíveis com a noção de sobrevivência. Na conjugação de terra devastada e sobrevivência, pretendo apreender também certas linhas de continuidade intermitente entre os momentos moderno e contemporâneo da literatura brasileira, sobretudo em poesia. (AU)