Busca avançada
Ano de início
Entree

Circuitos amigdaloides na modulação do medo inato

Processo: 13/15084-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luiz Guilherme de Siqueira Branco
Beneficiário:Luiz Guilherme de Siqueira Branco
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Norberto Cysne Coimbra
Bolsa(s) vinculada(s):13/22442-5 - Circuito amigdaloide na modulação do medo inato, BP.TT
Assunto(s):Neurofisiologia  GABA  Neurociências  Neurotransmissores  Resposta de imobilidade tônica  Medo  Ansiedade  GABAérgicos 

Resumo

Imobilidade Tônica (IT) é uma resposta comportamental defensiva de medo inato desencadeada em situações de confronto inescapável entre presa-predador. Esta resposta caracteriza-se por perda do reflexo de endireitamento e relativa falta de responsividade aos estímulos ambientais. Estudos consistentes tem demonstrado o envolvimento de distintas áreas encefálicas na modulação desta resposta, entre elas a substância cinzenta periaquedutal, o hipotálamo e a amígdala. Considerando a amígdala em particular, nossos estudos mostraram o envolvimento de diferentes circuitos de neurotransmissores (Brain Research Bulletin, 58: 13 - 19, 2002; Brain Research Bulletin, 60: 167 - 178, 2003; Brain Research Bulletin, 69: 356 - 364, 2006; Brain Research Bulletin, 79: 358 - 364, 2009) dentre eles os sistemas colinérgico, opióidergico, serotoninérgico e GABAérgico, bem como interações entre estes sistemas. Recentemente, temos demonstrado a participação dos receptores para o fator liberador de corticotropina (CRF), dos núcleos basolateral (BLA) ou central (CEA) da amígdala na modulação do medo inato (Behavioural Brain Research, 225: 23-30, 2011, Advances in Bioscience and Biotechnology, 4: 20-27, 2013). Além dos núcleos central e basolateral , os núcleos medial/basomedial da amígdala (Advances in Zoology Research, vol. 1. Jenkins O.P. (ed.), Nova Science Publishers, New York; 2012, pp 172-188) estão intimamente relacionados com a modulação comportamental do medo inato e condicionado, possivelmente devido a suas conexões recíprocas com núcleos hipotalâmicos responsáveis pelo controle de comportamentos de defesa. Desta forma, o objetivo deste projeto será investigar o envolvimento dos receptores específicos para o fator liberador de corticotropina, CRF1 e CRF2 dos núcleos basolateral e central da amígdala na modulação da resposta de IT em cobaias. Em adição, uma segunda etapa deste projeto, irá avaliar a participação do sistema GABAérgico (receptores GABAA e GABAB) do núcleo medial/basomedial da amígdala na modulação da resposta de IT em cobaias. Em adição serão avaliadas as conexões anatômicas do núcleo basomedial (BMA) da amígdala na tentativa de fundamentar o mecanismos de participação deste núcleo na modulação da resposta de imobilidade tônica. Para excluir a possibilidade de que o tratamento realizado promova alteração do comportamento motor, e altere a resposta de IT de forma inespecífica, será realizado o teste do campo aberto, com todas as drogas utilizadas no estudo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE PAULA, BRUNA B.; DE MELO, JEANNE R.; LEITE-PANISSI, CHRISTIE R. A. Modulation of tonic immobility by GABAA and GABAB receptors of the medial amygdala. Neuroscience Letters, v. 699, p. 189-194, APR 23 2019. Citações Web of Science: 0.
DE PAULA, BRUNA BALBINO; ANDRADE LEITE-PANISSI, CHRISTIE RAMOS. Distinct effect of 5-HT1A and 5-HT2A receptors in the medial nucleus of the amygdala on tonic immobility behavior. Brain Research, v. 1643, p. 152-158, JUL 15 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.