Busca avançada
Ano de início
Entree

Memória, narrativa e identidade no cristianismo primitivo: dos atos dos Apóstolos aos atos Apostólicos Apócrifos

Processo: 13/14813-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Teologia - História da Teologia
Pesquisador responsável:Paulo Augusto de Souza Nogueira
Beneficiário:Paulo Augusto de Souza Nogueira
Instituição-sede: Escola de Comunicação, Educação e Humanidades. Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Instituto Metodista de Ensino Superior (IMS). São Bernardo do Campo , SP, Brasil
Assunto(s):Religiões primitivas  Cristianismo  Atos dos apóstolos  Narrativa histórica 

Resumo

O cristianismo tem origem no judaísmo no primeiro século, do qual herdou características de movimento religioso profético, e exerceu fascínio sobre judeus da diáspora e sobre gentios de todo o Império. Sua expansão foi muito rápida, de tal forma que no início do segundo século já são documentadas comunidades cristãs por todo o mundo mediterrâneo, das mais diversas formações. Diante deste crescimento acelerado e da conformação plural das comunidades, autores anônimos, a partir do final do primeiro até o terceiro século, redigiram relatos sobre as origens do cristianismo: suas experiências fundantes, seus líderes, sua pregação e a fundação das primeiras comunidades. Esses escritos - intitulados Atos dos Apóstolos (prákseis ou acta) ou Atos de Pedro, Atos de Paulo e Tecla, Atos de João, entre outros apóstolos - organizam fontes diversas e muitas vezes contraditórias por meio de esquemas narrativos provindos de enredos da literatura helenística. Destacam-se os modelos oferecidos pelo gênero prákseis, pelo romance de aventura helenístico e pelos relatos aretalógicos sobre homens santos e sua atividade. Nesses atos apostólicos as memórias das origens são construídas em torno do passado idealizado e também em torno da identidade que as comunidades projetam sobre si mesmas. Nos Atos Apostólicos, nos Atos Apostólicos Apócrifos e nas Atas dos Mártires, as fontes deste projeto, são apresentadas, em narrativas ficcionais e de forma idealizada, a ação e a presença pública que o cristianismo primitivo projetou para a sociedade, da mesma forma que os valores internos que os regiam. Nosso objetivo principal neste projeto é analisar a construção de identidade e de sujeito, da mesma forma que as idealizações e os valores que se articulam nas narrativas ficcionais sobre as origens do cristianismo produzidas entre o primeiro e o terceiro séculos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Martírio no Cristianismo Primitivo: Discursos e Práticas