Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da concentração de BisGMA e fotoiniciador no grau de conversão e resistência flexural de monômeros adesivos polimerizados por LED

Processo: 13/07646-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Sérgio Eduardo de Paiva Gonçalves
Beneficiário:Sérgio Eduardo de Paiva Gonçalves
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Paula Martins Gomes ; Eduardo Bresciani ; Frederico Canato Martinho ; Maria Filomena Rocha Lima Huhtala ; Taciana Marco Ferraz Caneppele
Bolsa(s) vinculada(s):14/09162-6 - Influência da concentração de BisGMA e fotoiniciador no grau de conversão e resistência flexural de monômeros adesivos polimerizados por LED, BP.TT
Assunto(s):Dentística  Adesivos dentinários  Resinas compostas  Monômeros  Fotoiniciadores dentários  Bis-fenol A-glicidil metacrilato  Resistência à flexão 

Resumo

O grau de conversão dos monômeros adesivos frente à separação de fases decorrente do montante de água que emerge na superfície dentinária após o condicionamento ácido, é um fator de grande importância para a manutenção da estabilidade da interface adesiva. Este estudo tem como objetivos determinar a concentração de BisGMA requerida para uma polimerização eficaz das fases aquosa e resinosa (fase 1), bem como a quantidade e qualidade do sistema fotoiniciador (fase 2), e a resistência flexural dos modelos adesivos (fase 3). A 1ª fase envolverá a manipulação de modelos adesivos com diferentes concentrações de BisGMA/HEMA em presença de água e das associações de 2, 3, 4 e 5 fotoiniciadores: 2 (CQ e EDMAB); 3- (CQ, DMAEMA, DPIHP); 4- (CQ, DMAEMA, DPIHP e QTX 10% ); 5- (CQ, EDMAB, DMAEMA, DPIHP e QTX 10%); na 2ªfase serão utilizados modelos manipulados de sistemas adesivos na relação de massa BisGMA 55%/HEMA 45% com as mesmas associações de fotoiniciadores da fase 1. Após mistura e vibração por 24h será incorporada água (D2O) para propiciar a separação de fases do adesivo (vibração por 1 min e centrifugação por 60 min). As fases aquosa e resinosa, e a resina pura serão avaliadas em FT-IR (espectroscopia infra-vermelha por transformada de Fourier). Uma gota do líquido a ser analisado será depositada sobre a superfície do cristal ATR que coletará espectros, permitindo acompanhar o grau de conversão durante e após a fotoativação por LED de 1100mW/cm2 de intensidade (20min de medição). Os resultados serão registrados em formato Excel e transferidos ao programa Origin 6.0, proporcionando os gráficos e respectivos graus de conversão dos monômeros. Corpos de prova (n=100) dos diferentes modelos adesivos da fase 2 serão preparados a partir de matriz metálica (15x2x2mm) para a execução da fase 3. Os espécimes serão testados quanto à resistência flexural em máquina de testes universal EMIC, com célula de carga de 10Kg e velocidade de 0,5mm/min, em dois tempos (imediato e após 6 meses de armazenamento em saliva artificial). Constatada a normalidade dos resultados, será aplicado o modelo estatístico mais apropriado. (AU)