Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanopartículas de fibroina para aplicação como ativo cosmético na área capilar

Processo: 13/50088-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Flávio Bueno de Camargo Junior
Beneficiário:Flávio Bueno de Camargo Junior
Empresa:Chemyunion Química Ltda
Município: Sorocaba
Auxílios(s) vinculado(s):15/50051-6 - Desenvolvimento de nanopartículas de fibroína para aplicação como ativo cosmético na área capilar, AP.PIPE
Assunto(s):Cabelo  Elasticidade  Nanopartículas  Cosméticos 

Resumo

Desde a antiguidade, a finalidade de um produto cosmético visa o bem estar do consumidor, homem ou mulher, melhorando a aparência e projetando para o meio social a imagem que cada um quer apresentar de si. Os cabelos não servem só como um aliado estético (dando forma e valorizando o rosto) mas também funcionam como um isolante térmico, protegendo a cabeça das radiações solares, impactos e da abrasão mecânica. Alguns tratamentos químicos, hoje em dia muito utilizados, apesar de modificar a aparência do cabelo, desde o seu formato até sua coloração, conferindo o aspecto desejado ao indivíduo, atuam de maneiras diferentes na sua estrutura, promovendo danos e alterações estruturais. Com o objetivo de contornar essas mudanças, verifica-se uma busca constante no mercado cosmético por produtos capazes de tratar os cabelos danificados ou enfraquecidos, resultantes de tratamentos como descoloração, tinturas, alisamentos, etc. Dentro desse contexto, o objetivo do presente projeto é o de desenvolver um novo ativo cosmético capilar de eficácia e segurança comprovadas, a partir de uma proteína extraída do casulo do Bicho da Seda (Bombyx mori), a Fibroína, devido a sua característica natural em relação a resistência mecânica exercida aos fios de seda, propriedades viscoelásticas e formadora de filmes. O novo produto conterá a Fibroína nas formas livre, micro e nanopartículada, em proporções que favoreça a viscoelasticidade da mistura em relação à proteína livre. A Fibroína será extraída dos casulos do Bicho da Seda utilizando reagente de Ajisawa sob aquecimento. As partículas serão obtidas por complexação eletrostática entre a proteína, goma guar quaternizada, e a sua polidispersidade de tamanhos caracterizará as proporções entre micro e nanopartículas. A produção das partículas será conduzida em batelada, com temperatura e agitação controladas. A proporção entre micro e nanopartículas seré estudada em função da velocidade de agitação, concentração inicial da solução aquosa de Fibroína e da razão entre Fibroína e goma guar quaternizada. Técnicas como espalhamento dinâmico de luz, microscopia de luz polarizada, potencial zeta, microscopia eletrônica de varredura e espectroscopia de varredura óptica, serão utilizadas para caracterização e estabilidade das nanopartículas produzidas. As propriedades reológicas (viscosidades e viscoelasticidade) serão caracterizadas em regimes estacionário e oscilatório usando geometria de placas paralelas. Além disso, para a avaliação da segurança serão realizados testes in vitro de citotoxicidade, fototoxicicidade, genotoxicidade e avaliação de irritabilidade ocular (HET-CAM). A eficácia das formulações mais promissoras será avaliada em mechas de cabelo padronizadas através da propriedades mecânicas e a integridade do relevo dos fios de cabelos, utilizando técnicas de tração e de microscopia eletrônica de varredura. (AU)