Busca avançada
Ano de início
Entree

Cimentos ósseos injetáveis: otimização e controle das propriedades mecânicas, porosidade e taxa de degradação

Resumo

Atualmente, e grande a demanda por materiais que possam ser implantados em cirurgias minimamente invasivas, que permitam o crescimento de um novo tecido (scaffolds) e sejam reabsorvíveis. Dessa forma, o desenvolvimento de materiais injetáveis, que curam in vivo e ainda sejam degradados pelo organismo enquanto um novo tecido cresce, e uma abordagem estratégica para alavancar o uso de cimentos de fosfatos de cálcio (CFC). Estes materiais são biocompatíveis, bioativos, reabsorvíveis e podem ser injetáveis. Entretanto, o desenvolvimento desses materiais não e uma tarefa fácil, pois propriedades como injetabilidade, tempo de cura, tempo de coesão, resistência mecânica, porosidade e reabsorção in vivo são antagônicas, mas precisam ser com- binadas de forma a garantir o melhor desempenho do material. O principal desafio e obter uma taxa de injeção ideal (tempo, força necessária e massa injetada) para permitir a sua aplicação durante o ato cirúrgico sem prejudicar seu desempenho mecânico e biológico. Uma abordagem simples para o controle da taxa de injeção de um cimento ósseo e aumentar sua razão líquido-pó de maneira que a viscosidade da pasta formada seja tal que permita a aplicação do material antes da cura do cimento iniciar ou sem que aconteça a segregação de fases. Porém, aumentar a quantidade de líquido irá, certamente, reduzir a resistência mecânica final do material devido a uma maior porosidade intrínseca. Outras alternativas podem ser exploradas como a adição de agentes poliméricos, utilização de partículas arredondadas ou a incorporação de íons citrato; entretanto, para o sucesso clinico desses materiais algumas deficiências ainda precisam ser superadas como a coesão, as propriedades mecânicas e a taxa de reabsorção após a injeção/implante. Nesse projeto, serão propostas novas metodologias e abordagens que permitam a melhora das propriedades e dos custos de fabricação de cimentos ósseos injetáveis. Serão desenvolvidas novos materiais para tratar doenças e preencher defeitos do tecido ósseo e dentário. Alem disso, serão definidas rotas de síntese e de processamento técnica e economicamente viáveis, na tentativa de se produzir tecnologia nacional permitindo a redução de custos e, consequentemente, de preços dos materiais utilizados na ortopedia e na odontologia. Os materiais desenvolvidos neste projeto apresentarão propriedades equivalentes ou superiores aos importados e comercialmente utilizados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
OLIVEIRA, RODRIGO L. M. S.; MOTISUKE, MARIANA. Using round ?-TCP granules for improving CPC injectability. MATERIALS RESEARCH EXPRESS, v. 6, n. 12 DEC 2019. Citações Web of Science: 0.
L. P. SILVA; M. D. P. RIBEIRO; E. S. TRICHÊS; M. MOTISUKE. Brushite cement containing gelatin: evaluation of mechanical strength and in vitro degradation. Cerâmica, v. 65, n. 374, p. 261-266, Jun. 2019.
C. O. RENÓ; R. G. CARRODEGUAS; M. MOTISUKE; M. A. RODRÍGUEZ. Preparation and properties of α-tricalcium phosphate microspheres by spray drying. Cerâmica, v. 65, n. 376, p. 599-604, Dez. 2019.
RENO, CAROLINE DE OLIVEIRA; MOTISUKE, MARIANA. Optimizing the Water-Oil Emulsification Process for Developing CPC Microspheres. MATERIALS RESEARCH-IBERO-AMERICAN JOURNAL OF MATERIALS, v. 19, n. 6, p. 1388-1392, NOV-DEC 2016. Citações Web of Science: 1.
CAROLINE DE OLIVEIRA RENÓ; MARIANA MOTISUKE. Optimizing the Water-Oil Emulsification Process for Developing CPC Microspheres. MATERIALS RESEARCH-IBERO-AMERICAN JOURNAL OF MATERIALS, v. 19, n. 6, p. 1388-1392, Dez. 2016.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.